Covid-19: PF investiga oferta falsa de 200 milhões de doses de vacina ao Ministério da Saúde

Redação Notícias
·1 minuto de leitura
Lado externo do prédio do Ministério da Saúde com o letreiro de identificação
Ministério da Saúde foi alvo de tentativa de golpe - Foto: Agência Brasil
  • PF cumpriu sete mandados contra grupo acusado de oferta falsa de 200 milhões de doses de vacina

  • Denúncia foi feita pelo próprio Ministério da Saúde

  • Ao menos dois suspeitos foram identificados após apresentarem credenciais falsas

Agentes da Polícia Federal cumpriram na manhã desta quinta-feira sete mandados de busca e apreensão contra um grupo acusado de realizar oferta falsa de 200 milhões de doses de vacina contra Covid-19 ao Ministério da Saúde.

Leia também:

A Operação Taipan teve início após uma denúncia do próprio ministério, que recebeu a proposta “em nome de um grande consórcio farmacêutico”. A investigação identificou ao menos dois suspeitos que, por meio de suas empresas, teriam apresentado credenciais falsas afirmando ter exclusividade na comercialização destas vacinas.

Os mandados seriam cumpridos pela manhã em duas cidades: Paracatu, em Minas Gerais, e Vila Velha, no Espírito Santo, a mando da Justiça do Distrito Federal. A PF identificou ofertas do mesmo grupo a outros gestores públicos, governadores e prefeitos.

A operação apura os crimes de associação criminosa, estelionato em face de entidade pública, falsificação de documento particular e falsificação de produto destinado a fins medicinais.

Grupo realizou oferta falsa de vacinas
Grupo realizou oferta falsa de vacinas

Brasil ultrapassa os 300 mil mortos

O Brasil registrou 1.999 novas mortes pelo novo coronavírus e 89.414 casos da doença nesta quarta (24). Com isso, o total de mortos chegou a 300.675 e o de casos a 12.219.433, de acordo com o painel atualizado pelo Conass (Conselho Nacional dos Secretários de Saúde), um sistema próprio de informações que reúne dados de contaminados e de óbitos em contagem paralela à do governo.