Covid-19: Plataformas já registram 135 casos a mais em março do que em fevereiro, afirma federação de trabalhadores

Vitor da Costa
·3 minuto de leitura

RIO — A contaminação pela Covid-19 nas plataformas de petróleo está em alta. De acordo com a Federação Única dos Petroleiros (FUP), já foram registrados em março, até esta segunda-feira, 135 casos a mais de contaminação do que o total de fevereiro: 352 contra 217. A FUP chama atenção ainda para o fato de que, em fevereiro, o maior registro de infectados em um dia foi de 29 pessoas. Na semana passada, foram notificados 83 casos em um único dia.

De acordo com a FUP, o Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF), filiado à federação, entrou com requerimento no Ministério Público do Trabalho (MPT) para que a Petrobras seja notificada e preste esclarecimentos sobre o avanço da Covid-19 em unidades de exploração e produção da empresa.

A FUP destaca ainda que o coordenador do Departamento de Saúde e Meio Ambiente do Sindipetro –NF, Alexandre de Oliveira Vieira, informou à entidade que a P-38, no campo de Marlim Sul, na Bacia de Campos, interrompeu os trabalhos no convés desde a última quarta-feira, quando os resultados dos exames saíram e estaria “operando parcialmente”.

Segundo denúncia encaminhada pelo Sindipetro-NF à FUP, haveria casos de contaminação pela Covid-19 nas plataformas P-43, P-63, P-25 e P-35, além da P-38, todas na Bacia de Campos. A estatal afirmou que ocorreram “desembarques pontuais”, mas sem detalhar o número de casos positivos. A empresa afirma que só divulga dados gerais sobre os infectados.

A Petrobras confirmou ainda que reduziu a produção das plataformas P-40 e P-56 na Bacia de Campos, para diminuir o volume de petróleo recebido pela P-38, que não possui produção própria. Mas destacou que a operação já voltou ao normal.

A empresa afirmou ainda que desembarcou todos os colaboradores da P-38 com resultado de teste positivo. Além disso, destacou que todos os contactantes de bordo, mesmo que com teste negativo, também foram desembarcados.

A empresa acrescentou que todos que testaram positivo ficarão em isolamento e sendo monitorados pela equipe médica da companhia. O serviço de desinfecção da plataforma está em andamento.

A Petrobras destacou que os integrantes já assumiram as funções essenciais do contingente desembarcado, assegurando o atendimento aos requisitos legais e a segurança da unidade.

A petroleira ressaltou que adota medidas de combate ao coronavírus. Para as unidades com confinamento, como plataformas, os procedimentos envolvem monitoramento de saúde desde 14 dias antes do embarque, quando os todos os colaboradores são acompanhados por equipes de saúde e orientados a ficar em casa e reportar qualquer sintoma.

Antes do embarque, são aplicados testes RT-PCR em todos colaboradores, segundo a empresa.

Segundo os dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP), utilizados pela FUP, no acumulado do ano, foram registrados 1.423 casos da Covid-19. Desde o início da pandemia, a ANP contabiliza 4.872 casos de funcionários com o coronavírus. Desses 3.483 acessaram as instalações.

Ainda de acordo com a FUP, os casos confirmados na Petrobras chegam a cerca de 5,5 mil até o último dia 15, o que representaria 11% do quadro de funcionários.

Os dados foram coletados pela entidade com base no boletim de monitoramento Covid-19 do Ministério de Minas e Energia. Segundo o boletim, do total de contaminados da Petrobras, 5203 se recuperaram, 258 continuam doentes, sendo 17 hospitalizados. O número de mortes é de 17. Esses dados dizem respeito a toda a empresa, enquanto os da ANP, apenas as plataformas e unidades marítimas, afirmou a entidade sindical.

Segundo a empresa, há 294 funcionários contaminados em acompanhamento.