Covid-19: Por falta de doses, Prefeitura do Rio atrasará calendário da terceira dose em quatro dias

·1 min de leitura

A Prefeitura do Rio comunicou, nesta sexta-feira, que o calendário da aplicação da terceira dose da vacina contra a Covid-19 será atrasado em quatro dias. A administração municipal atribuiu a mudança a um atraso nas entregas do Ministério da Saúde, que forneceu ao município menos doses do imunizante do que tinha prometida para outubro. Com isso, os idosos de 67 anos, que tomariam a dose de reforço neste sábado, vão receber a nova injeção a partir da próxima quinta-feira.

O anúncio foi feito na entrevista coletiva de divulgação do 41° boletim epidemiológico do município. Na ocasião, o prefeito Eduardo Paes, que historicamente criticou o governo federal pela demora na entrega de vacinas, minimizou o episódio.

— Gostaria de dar mais uma vez meu agradecimento público ao Ministério da Saúde, que nos atendeu quando cobramos — disse. — (A demora) É perfeitamente aceitável. Existe algum atraso, algo que estava previsto. Reclamei no início para que pudéssemos tomar decisões, mas agora a coisa está fluindo. Há aqui uma pressão, mas não uma reclamação.

Entre este sábado e a próxima quarta-feira, pessoas com 68 anos ou mais podem tomar a dose de reforço. A prefeitura frisa que a segunda dose continuará sendo aplicada normalmente.

Segundo a Secretaria municipal de Saúde (SMS), há uma discrepância de 311 mil doses entre a quantidade de vacinas inicialmente prometidas pelo governo federal para outubro e o total que de fato será enviado até o fim do mês.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos