Covid-19: prefeitura do Rio suspende cirurgias eletivas na rede municipal

·2 minuto de leitura

A secretária de Saúde do Rio, Ana Beatriz Busch, suspendeu todas as cirurgias eletivas na rede municipal de Saúde em razão da pandemia de Covi-19. A determinação foi publicada no Diário Oficial do Município nesta sexta-feira, dia 18. e segue por tempo indeterminado.

Na decisão, ela destaca considerar "que a situação demanda o emprego urgente de medidas de prevenção, controle e contenção de riscos, danos e agravos à saúde pública". Com isso, permanecem autorizadas cirurgias oncológicas e cardiovasculares nos hospitais da rede municipal. Há a recomendação para para que as unidades só realizem procedimentos cirúrgicos de Urgência e Emergência.

A publicação destaca que equipes e materiais a serem liberados a partir da suspensão das cirurgias eletivas deverão ser direcionados para os atendimentos de pacientes com Covid-19.

Números da Covid-19 no Rio

De acordo com o boletim do Governo do Estado do Rio publicado na tarde de quinta-feira, dia 17, os municípios fluminenses registraram 95 mortes e 3.493 novos casos de coronavírus, destes só a capital registrou 1.156 novos casos (33% do total no estado) e 26 mortes (27% do total no estado).

No total, agora são 154.183 infectados e 14.177 óbitos desde o início da pandemia só na cidade do Rio. O município tem acompanhado o aumento da média móvel no estado. Na quinta, a prefeitura afirmou que a taxa de ocupação nos leitos de UTI da rede SUS era de 92% (611 pessoas) de ocupação nos leitos de UTI que inclui vagas em hospitais municipais, estaduais e federais da cidade. Já nas enfermarias era de 85% (821 pessoas. Levando em consideração apenas as vagas exclusivas para coronavírus oferecidas em unidades de saúde municipais, eram 666 pacientes internados, sendo 275 em UTI, uma ocupação de 95% dos 288 disponibilizados.

Festas de réveillon

Os planos também têm mudado quanto ao réveillon na capital. A Prefeitura do Rio cancelou, na quinta-feira, as festas privadas nos quiosques da orla da cidade em razão da pandemia de Covid-19, como revelou o jornalista Ancelmo Gois. Estão proibidos cercadinhos, shows ou eventos com cobrança de ingressos ao longo da orla, seja na areia ou calçadão na virada do ano. Na terça-feira, dia 15, a prefeitura tinha cancelado o evento alternativo de réveillon no município, que teria shows transmitidos pela internet.