Covid-19: saiba quantas pessoas já foram vacinadas em cada país

O Globo
·6 minuto de leitura

RIO — A União Europeia (UE) começou oficialmente neste domingo sua campanha de vacinação em massa contra a Covid-19. Doses da vacina desenvolvida pela farmacêutica americana Pfizer, em parceria com o laboratório de biotecnologia alemão BioNTech, começaram a ser entregues nos últimos dias e já foram administradas em países como Portugal, França, Espanha e Itália. Em diversos países, incluindo o Brasil, no entanto, ainda há um longo caminho pela frente.

Embora três países do bloco tenham antecipado a vacinação no último sábado — com uma diferença de menos de 24 horas em relação às demais 24 nações integrantes, cidadãos da Hungria, Eslováquia e Alemanha começaram a ser imunizados —, trata-se do passo mais robusto na direção da imunização contra a Covid-19 apenas nove meses após a declaração de pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS). A meta do bloco é vacinar toda sua população adulta até o fim de 2021.

Apesar de o governo brasileiro prever o início da imunização até o fim do primeiro trimestre de 2021, não há previsão concreta para que o primeiro brasileiro receba doses de um dos imunizantes contra o novo coronavírus.

Entenda abaixo em que pé está vacinação contra a Covid-19 no mundo, que já tem pelo menos 44 nações conduzindo campanhas de imunização, e quantas pessoas receberam doses até o momento. Os dados são do Our World in Data, que compila dados a partir de diferentes fontes oficiais, e foram atualizados pela última vez no sábado, e de governos nacionais.

Mundo - 4,8 milhões

Quase 5 milhões de pessoas já receberam doses de vacinas contra a Covid-19 em todo o mundo, nenhuma delas no Brasil. Esse número tende a aumentar consideravelmente após o início da campanha da União Europeia.

Por enquanto, todas as vacinas autorizadas emergencialmente foram desenhadas para serem aplicadas por meio de duas doses. Entre as principais vacinas em desenvolvimento contra o novo coronavírus, apenas a fórmula testada pela Johnson & Johnson depende de apenas uma dose, mas a fase 3 de seus ensaios clínicos ainda não foi concluída.

Isso significa, portanto, que as 4,8 milhões de pessoas vacinadas até o momento precisarão receber uma nova dose para assegurar a proteção contra a Covid-19. No caso do imunizante da Pfizer, por exemplo, deve-se respeitar um intervalo de pelo menos 21 dias. Isso significa que a primeira britânica imunizada, no último dia 8, só poderá receber a dosagem final a partir da próxima terça-feira.

Estados Unidos - 1,94 milhão

Os Estados Unidos já autorizaram, além da vacina da Pfizer, o imunizante do laboratório americano Moderna e são o país mais avançado em termos de doses administradas até o momento. O número, no entanto, está muito atrás da meta do governo dos EUA, que pretendia vacinar 20 milhões de pessoas até o fim do ano.

Até o último dia 24, mais de 9,5 milhões de doses de vacinas já haviam sido enviadas aos estados, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA.

China - 1 milhão

A China começou a vacinar emergencialmente setores essenciais, profissionais de saúde e autoridades antes mesmo da conclusão da fase três dos ensaios clínicos das quatro principais vacinas candidatas desenvolvidas no país: a da Sinovac Biotech, desenvolvida em parceria com o Instituto Butantan, do Brasil; duas da Sinopharm, estatal chinesa e outra da CanSino. As estatísticas foram atualizadas pela última vez no dia 19.

Reino Unido - 800 mil

Segundo dados compilados até último dia 24, o Reino Unido já vacinou 800 mil pessoas. O país foi o primeiro do Ocidente a autorizar o uso emergencial de uma vacina contra a Covid-19 dentro dos padrões regulatórios usuais. Depois de liberar o uso da fórmula da Pfizer/BioNTech, o país deve aprovar no início de janeiro o imunizante da farmacêutica britânica AstraZeneca, desenvolvida em parceria com a Universidade de Oxford.

União Europeia - Indefinido

Como a vacinação de cidadãos da UE começou oficialmente neste domingo, ainda não há números consolidados. O bloco deve receber 12,5 milhões de doses da vacina até o dia 31, o suficiente para vacinar 6,25 milhões de pessoas com base no regime de duas doses da vacina da Pfizer/BioNTech.

Fazem parte do bloco Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, República Tcheca, Chipre, Croácia, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Irlanda, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Polônia, Portugal, Romênia e Suécia.

Rússia - 700 mil

Números do último dia 25 indicam que 700 mil russos já foram imunizados contra a Covid-19. O país é um dos mais afetados pelo novo coronavírus no mundo e já registrou mais de 3 milhões de casos. A Rússia autorizou o uso emergencial da vacina Sputnik V, desenvolvida pelo laboratório russo Gamaleya. O presidente russo, Vladimir Putin, de 68 anos, anunciou que receberá as doses do imunizante.

Israel - 279.300

O país do Oriente Médio começou a vacinar sua população no último dia 19. Desde então, quase 280 mil pessoas já receberam doses da vacina da Pfizer/BioNTech, incluindo o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu.

Bahrein - 51.556

O pequeno país de 1,7 milhão de pessoas adquiriu doses do imunizante da chinesa Sinopharm e começou a vacinar a população na véspera de Natal. Proporcionalmente, o Bahrein tem o segundo maior índice de vacinados por 100 habitantes no mundo: são 3,03, pouco atrás de Israel, que já vacinou 3,23 a cada 100 israelenses.

Canadá - 43.525

O país norte-americano, que enfrenta uma segunda onda da Covid-19 começou a vacinar a população no último dia 14 com doses da Pfizer/BioNtech. Cerca de 60% das pouco mais de 14 mil mortes pela Covid-19 no Canadá ocorreram em lares para idosos.

Chile - 8.324

O Chile foi o primeiro país da América do Sul a iniciar a imunização contra a Covid-19. A vizinha Argentina, por sua vez, começará na próxima terça-feira. O país, que soma 600 mil infectados pelo Sars-CoV-2, autorizou o uso da vacina desenvolvida pela Pfizer/BioNTech, no último dia 16.

México - 2.924

Ainda em fase incipiente, a vacinação contra a Covid-19 no México, país que tem o terceiro maior número de óbitos por Covid-19 no mundo (pouco mais de 122 mil), já contemplou quase 3 mil mexicanos. O país adquiriu doses do imunizante da Pfizer. A primeira fase da vacinação terá como foco os profissionais de saúde que enfrentam a pandemia.

Costa Rica - 55

O país da América Central, a exemplo das outras nações latino-americanas que já iniciaram campanhas de vacinação contra a Covid-19, autorizou o uso emergencial da fórmula da Pfizer. Os dados mais recentes, de 24 de dezembro, indicam que apenas 55 pessoas receberam doses até o momento.

Outros - Indefinido

Diversos países também começaram a imunizar parte da população contra a Covid-19, mas não tiveram estatísticas compiladas pelo Our World in Data. Estão na lista a Arábia Saudita (Pfizer/BioNTech), Emirados Árabes Unidos (Sinopharm), Suíça (Pfizer/BioNTech), Kuwait (Pfizer/BioNTech), Sérvia (Pfizer/BioNTech), Qatar (Pfizer/BioNTech) e Omã (Pfizer/BioNTech).