Covid-19: São Paulo pede criação de barreiras sanitárias para tentar conter variante indiana

·2 minuto de leitura
Maranhão confirmou primeiros casos da variante indiana no Brasil (Getty Images)
Maranhão confirmou primeiros casos da variante indiana no Brasil (Getty Images)
  • Prefeitura de São Paulo quer criar barreiras sanitárias para impedir chegada da variante indiana

  • Ela foi identificada pela primeira vez no Brasil na última quinta-feira, no Maranhão

  • Além disso, a Argentina também já identificou casos da nova cepa

A prefeitura de São Paulo tenta criar barreiras sanitárias nos aeroportos da cidade e da região para impedir a chegada da variante indiana do coronavírus. Ela foi identificada pela primeira vez no Brasil na última quinta-feira, no Maranhão.

De acordo com informações do UOL, o secretário de Saúde da capital paulista, Edson Aparecido, participará de uma reunião neste sábado com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e membros da Anvisa para debater a medida.

Leia também

"O ministro Queiroga prontamente nos atendeu para que possamos criar barreiras. Marcamos uma reunião virtual amanhã, no sábado, para tratar de medidas que podemos estabelecer aqui em São Paulo com a Anvisa para controlar a disseminação da variante", contou Aparecido ao site.

Não são apenas os voos do Maranhão, porém, que preocupam São Paulo, uma vez que a Argentina também já identificou casos da cepa indiana. A intenção da secretaria de Saúde, portanto, é criar um monitoramento especial a passageiros que vêm tanto do estado nordestino quanto do país vizinho.

Para isso, além dos profissionais da Anvisa, que já realizam o controle sanitário contra a Covid-19 por todo o Brasil, a capital paulista pretende incluir um grupo próprio de profissionais da saúde em seus aeroportos e até em rodovias que dão acesso à cidade.

Aeroporto de Guarulhos teria barreira sanitária (Rebeca Figueiredo Amorim/Getty Images)
Aeroporto de Guarulhos teria barreira sanitária (Rebeca Figueiredo Amorim/Getty Images)

"O (teste) PCR é um fator importante de comprovação, e também a orientação sanitária. Em locais como as estradas Dutra, Fernão Dias e o Terminal de Ônibus do Anhembi, colocaríamos uma estrutura para fazer a testagem", relatou Edson Aparecido.

Outra tática a ser utilizada por São Paulo é cadastramento de endereços de passageiros vindos da Argentina e do Maranhão, para facilitar o rastreamento das pessoas que tiveram contato com estes viajantes.

Variante identificada no Maranhão

A Secretaria de Saúde do Maranhão confirmou nesta quinta-feira os primeiros casos da variante indiana do coronavírus no Brasil. Os contaminados são tripulantes do navio MV Shandong da Zhi, que veio da África do Sul e está ancorado no litoral do estado.

No último sábado, o órgão já havia informado que um indiano que estava na embarcação havia sido hospitalizado e diagnosticado com Covid-19. Exames realizados nele e em outros cinco tripulantes confirmaram a contaminação pela variante da Índia. Outros nove também testaram positivo, mas não foi possível determinar para qual variante.

Lula, que também é presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), destacou que toda a tripulação encontra-se isolada e que não foi dada permissão para que o navio atracasse no Maranhão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos