Covid-19: seis a cada dez moradores do Rio não se vacinaram ou estão com doses em atraso

Dados divulgados pela Secretaria estadual de Saúde (SES) apontam que 58,6% da população fluminense apta a se vacinar contra a Covid-19 estão com doses em atraso ou sequer receberam o imunizante. Isso significa, na prática, que seis a cada dez moradores do estado não se encontram em dia com a proteção contra a doença. A vacina é apontada por especialistas como fundamental para evitar casos graves e óbitos.

Segundo o Painel Coronavírus estadual, o Rio tem pouco mais de 16,2 milhões de habitantes com mais de 5 anos de idade e, portanto, aptos a receber a imunização. Desses, afirma a SES, aproximadamente 2 milhões não receberam sequer a primeira dose, e outros 1,5 milhão não retornaram aos Postos de Saúde para a segunda aplicação.

O quadro entre os que completaram o primeiro ciclo com as duas doses também é preocupante. Entre os 12 milhões de pessoas nessa situação, metade não recebeu a primeira dose de reforço, já liberada para todos os maiores de 18 anos.

Atualmente, quem tem 40 anos ou mais já pode receber até mesmo a quarta aplicação. Na soma de todos os que têm vacinação pendente em algum nível, chega-se ao número de aproximadamente 8,5 milhões, mais da metade da população vacinável do estado.

— A principal forma de evitarmos internações e óbitos pela Covid-19 é a vacinação. Estudos mostram que, desde o início da campanha, houve uma redução significativa das formas graves da Covid. Por isso, fazemos um apelo para que a população procure os postos de saúde para receber o imunizante o quanto antes — afirmou o secretário estadual de Saúde, Alexandre Chieppe.

Um levantamento feito pelo Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS), vinculado à SES, reforçou a importância da vacinação. Segundo o órgão, após uma análise do perfil dos internados com Covid-19 nas unidades da rede estadual de Saúde entre os dias 9 e 10 de junho, foi constado que de um total de 56 pacientes, sendo 36 em UTI e 20 em enfermaria, somente 41% estavam como o esquema vacinal completo e uma dose de reforço.

Além disso, a idade, assim como as comorbidades, ainda é um fator fundamental para a evolução para as formas graves da Covid-19. Das pessoas entrevistadas pelo CIEVS, a maior parte era de idosos, sendo a mediana de idade de 69 anos, e 16% dos internados apresentavam alguma comorbidade.

Os pacientes avaliados estavam internados no Hospitais estadual Doutor Ricardo Cruz (HERCruz), no Hospital Regional do Médio Paraíba Dra. Zilda Arns Neumann (HERZA) e no Hospital Universitário Pedro Ernesto (HUPE), unidades de referência no estado para o tratamento da doença. A SES já orientou as Secretarias municipais de Saúde a adotarem medidas para ampliarem a cobertura vacinal em seus territórios, como a busca ativa de não vacinados e a vacinação extramuros.

A Campanha de Imunização contra Covid-19 teve início em janeiro do ano passado e, desde então, mais de 34 milhões de doses já foram aplicadas no estado. Até esta quarta-feira (22.06), 12.756.061 pessoas completaram o esquema vacinal primário, com primeira e segunda dose. O dado corresponde a 80% da população a partir dos 5 anos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos