Covid-19: sem cobrar comprovante de imunização a agentes, PM tem mais de 2 mil membros sem vacina no RJ

·1 minuto de leitura

Grupo prioritário da vacinação contra a Covid-19, a Polícia Militar ainda tem mais de 2 mil agentes sem uma dose sequer da vacina no Rio de Janeiro. De acordo com a PM, 41.809 agentes tomaram a primeira injeção, e 21.528 já receberam a segunda. O número de PMs não imunizados corresponde a 5% do efetivo da corporação, que tem cerca de 44 mil policiais.

Ao contrário do município do Rio de Janeiro, o Governo do Estado não tem nenhuma determinação que obrigue o policial — ou qualquer outra categoria do serviço público — a provar que sua vacinação contra a Covid-19 está em dia. Cabe à corporação, portanto, decidir exigir o comprovante de vacinação aos agentes ou não.

E a Polícia Militar do Rio optou por não fazê-lo. Não há punição prevista para os policiais que recusarem a vacina, informa a corporação. Eles tampouco devem se justificar a seus superiores ou se afastar das funções.

O posicionamento da PM vai de encontro a diversas iniciativas que visam a evitar o boicote à vacina entre os servidores públicos. Em agosto, a Prefeitura do Rio determinou que o comprovante da vacinação contra a Covid-19 passaria a ser exigido a todos os seus funcionários. O efeito do decreto está suspenso, contudo, desde o dia 15 deste mês, por decisão da desembargadora Marília Castro Neves. Interpelada para esta reportagem, a Polícia Civil não respondeu aos questionamentos do EXTRA.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos