Covid-19: Sem vacinas, ao menos quatro municípios param de aplicar segunda dose da CoronaVac

Carina Bacelar
·2 minuto de leitura

RIO - Ao menos quatro cidades do estado tiveram que interromper a aplicação da segunda dose da vacina CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan. Mangaratiba, Maricá, Duque de Caxias e Nova Iguaçu não tinham mais o imunizante disponível em estoque para aplicação nesta terça-feira. Em Volta Redonda, a prefeitura ainda está aplicando a CoronaVac, mas confirma que a demanda está sendo apenas parcialmente atendida e deve informar até o fim do dia se haverá estoque disponível para a segunda dose na quarta-feira.

Em Caxias, a prefeitura confirmou que o estoque de CoronaVac terminou nesta segunda-feira. Em Mangaratiba, a prefeitura comunicou nas redes sociais que o calendário de vacinação para a primeira dose se mantém, com a aplicação do imunizante da Oxford/Astrazeneca, mas não há mais CoronaVac para a segunda dose. "A imunização só será retomada quando houver fornecimento de novos lotes da vacina", afirmou o município na publicação.

A Secretaria de Saúde de Maricá avisou pelo Instagram que "o lote da CoronaVac (560 doses) recebido no sábado (24/04) já foi inteiramente aplicado". Nova Iguaçu também confirmou pela mesma rede social que a aplicação da segunda dose de CoronaVac foi adiada, mas que "por precaução, a Secretaria Municipal de Saúde marcou o retorno da segunda dose em 21 dias, e não em 28, deixando a população ainda coberta dentro do prazo máximo de retorno".

A Prefeitura de Volta Redonda disse pelas redes sociais nesta segunda-feira que "o desabastecimento de CoronaVac se refletiu na região". "A Secretaria municipal volta a esclarecer que, por determinação do Ministério da Saúde, as segundas doses não são reservadas, como no início da campanha de vacinação".

Nesta segunda-feira, a Secretaria estadual de Saúde do Rio disse já ter recebido, de forma não oficial, comunicados de municípios "que não têm mais doses de vacina para aplicação e terão que suspender a vacinação". De acordo com a pasta, "caso ocorra essa suspensão, será temporária até que nova remessa de imunizantes seja enviada pelo MS para o estado".

Nesta segunda-feira, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que as doses da CoronaVac devem ser distribuídas na próxima semana por causa do atraso na entrega do IFA (Ingrediente Farmacêutico Ativo) ao Butantan pela China. Sem dar detalhes, Queiroga informou que o ministério vai emitir uma nota técnica sobre o assunto. Há cerca de um mês, a pasta liberou a aplicação da segunda dose. Agora, segundo Queiroga, “há uma certa preocupação”.