Covid-19: taxa de positivos cresce 682% em um mês nos laboratórios do Brasil

A positividade – proporção dos testes realizados com resultado positivo – cresceu 682% nos laboratórios do Brasil em um mês. Os dados, compilados pela Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica (Abramed), mostram que a taxa passou de apenas 5,1% na segunda semana de outubro para 39,9% no mesmo período em novembro. Com isso, hoje cerca de 4 a cada 10 exames realizados na rede privada do país indicam um diagnóstico para a doença.

Retorno das máscaras? Médicos e secretarias da Saúde voltam a recomendar a proteção; veja em quais cenários e por quem

Guru da cloroquina: Didier Raoult alterou dados de pelo menos quatro pacientes e distorceu estudo, diz TV francesa

Essa taxa chegou a alcançar recentemente um dos patamares mais baixos de toda a pandemia, no início de outubro, quando foi de apenas 3,7%. Para se ter noção, naquela época, a cada 100 exames, menos de 4 eram positivos para Covid-19 – hoje são cerca de 40.

A positividade começou a subir aos poucos a partir da segunda semana de outubro, e disparou nos primeiros 14 dias de novembro. Somente entre as primeiras duas semanas do mês, a taxa passou de 23,1% para 39,9% – crescimento de 72,7%.

Isabel Salgado: Saiba o que é a SARA, síndrome que provocou a morte da atleta

Além disso, as informações da Abramed mostram que apenas nesses sete dias de diferença também houve uma explosão na procura pelos testes e no total de casos confirmados nos laboratórios, que cresceram mais de 5 vezes.

Em relação à testagem, saltou de 18.510 exames realizados no início do mês para 54.380 na segunda semana, um aumento de 194%. Já sobre o número de casos, o crescimento foi de 407%, passando de 4.276 diagnósticos para 21.700.

Doença de Bolsonaro: Entenda o que é a erisipela, diagnóstico que mantém Bolsonaro longe de aparições públicas

“Os dados nos mostram que na segunda semana de novembro houve um aumento na procura por exames, ou seja, a população foi se testar mais, provavelmente devido ao aumento de sintomas. Esse é um comportamento muito importante, pois somente com a testagem segura e com o diagnóstico preciso e correto podemos evitar disseminar ainda mais o vírus”, explica a diretora-executiva da Abramed, Milva Pagano, em comunicado.

Alta da Covid-19: Por quanto tempo preciso ficar isolado se estiver infectado?

Para ela, os números corroboram o alerta recente da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) sobre a maior circulação do vírus com a chegada da subvariante da Ômicron BQ.1, que tem maior escape às defesas do corpo, o que reforça a importância de medidas como completar o esquema vacinal com ao menos três doses e usar máscaras em situações de maior risco.

A Abramed responde por cerca de 60% de todos os exames realizados pela saúde suplementar no país.