Covid-19: taxa de testes positivos passa de 3% para 17% em apenas um mês no Brasil

A quantidade de casos de Covid-19 voltou a crescer no Brasil diante do relaxamento de medidas restritivas, como o uso de máscaras. Levantamento do Instituto Todos pela Saúde (ITpS) mostra que a taxa de exames positivos para a doença passou de 3% para 17% em apenas um mês. O salto de 466% é um forte indício de uma nova onda de casos da doença.

Exercícios: Estudo revela o melhor horário para quem quer emagrecer

Creatina: do aumento da massa muscular ao estímulo da memória, como age o suplemento no organismo

Apenas as faixas etárias abaixo de 19 anos têm positividade até 8% — nas demais, a taxa é acima de 19%.

“É importante observar que o aumento de casos não levará necessariamente a um crescimento de hospitalizações, uma vez que boa parte da população está vacinada. Não é esperado que tenhamos o impacto das ondas anteriores. Mas recomendamos o uso de máscaras em locais com aglomeração”, afirma o pesquisador científico Marcelo Bragatte, do ITpS.

Na última semana epidemiológica, de 22 a 29 de outubro, três estados apresentaram alta expressiva de casos. São eles: Mato Grosso, que registrou aumento de seis vezes, saindo de 3% para 18%; seguido de São Paulo, onde a positividade quase dobrou, subindo de 10% para 19%; e Rio de Janeiro, com aumento de 15% para 26%. De acordo com o ITpS, nos demais estados observados pelo , a baixa procura por testes impede a análise.

Infarto: casamentos longos podem piorar a saúde física do casal e aumentar os riscos de ter a doença, aponta estudo

Predominância da BA.4 e BA.5

Testes moleculares apontam que a maior parte das infecções se dá pelas variantes Ômicron BA.4 e BA.5, responsáveis por 93,5% das amostras positivas na última semana. Essas variantes dominam o cenário das infecções no Brasil desde o início de junho. Elas substituíram a BA.2. Casos prováveis de outras variantes, incluindo a BA.2, representaram 6,5%.

Na última semana, casos prováveis de BA.4 e BA.5 foram identificados em 301 municípios, de 21 estados. A maior parte dos dados provêm do Sudeste

O Instituto Todos pela Saúde está monitorando a chegada e a disseminação da Ômicron no Brasil desde dezembro do ano passado. Nesse período, 595.534 testes já foram avaliados.