Covid-19: Ministro diz que 1,5 milhão de brasileiros não voltaram para tomar segunda dose da vacina

·3 minuto de leitura
No auge da pandemia, o país sofre com uma vacinação lenta por falta de imunizantes disponíveis - Foto: AP Photo/Eraldo Peres
No auge da pandemia, o país sofre com uma vacinação lenta por falta de imunizantes disponíveis - Foto: AP Photo/Eraldo Peres
  • Ministro da Saúde alertou para alto número de pessoas que não foram aos postos receber a segunda dose da vacina contra Covid-19 no país

  • Queiroga garantiu que pasta fará esforço para ajudar estados a localizar os 'atrasados'

  • Orientação do ministério é que todos que estejam com a segunda dose atrasada vão a um posto de vacinação para completar a imunização

Marcelo Queiroga, ministro da Saúde, alertou para um problema grave que vem acontecendo no país relativo à vacinação contra a Covid-19. Segundo ele, 1,5 milhão de brasileiros estão com a segunda dose da vacina contra a doença atrasada.

A afirmação foi realizada nesta terça-feira (13) em conversa com jornalistas. No auge da pandemia, o país sofre com uma vacinação lenta por falta de imunizantes disponíveis. Ao mesmo tempo, parte da população não tem voltado para completar a sua proteção contra a Covid-19. 

Leia também

Até agora, as vacinas aplicadas nos brasileiros são a Coronavac e a AstraZeneca/Oxford. Para a primeira, o melhor resultado, segundo estudos, é alcançado quando a segunda dose é aplicada num intervalo de 21 a 28 dias. No caso do imunizante desenvolvido pela universidade britânica, é recomendado esperar até 3 meses entre as aplicações. 

Para começar a resolver a questão, que pode prejudicar ainda mais a já deficiente imunização no país, Queiroz anunciou que o Ministério da Saúde emitirá uma lista por estado com o nome das pessoas que estão com a segunda dose atrasada. Segundo o ministro, o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) auxiliará a pasta na tarefa de encontrar quem está em falta. 

Queiroga ressaltou que a orientação do ministério é que todos que estejam com a segunda dose atrasada vão a um posto de vacinação para completar a imunização.

RN registra falta de vacinas até para segunda dose

Até agora, as vacinas aplicadas nos brasileiros são a Coronavac e a AstraZeneca/Oxford: Imunizantes possuem intervalos diferentes entre aplicações - Foto: Buda Mendes/Getty Images
Até agora, as vacinas aplicadas nos brasileiros são a Coronavac e a AstraZeneca/Oxford: Imunizantes possuem intervalos diferentes entre aplicações - Foto: Buda Mendes/Getty Images

A Secretaria Estadual de Saúde (Sesap) ainda não sabe quando deverá receber novas remessas de vacina contra Covid-19 para repassar aos municípios potiguares. Nesta segunda-feira (12), a vacinação foi suspensa na capital Natal e pessoas que já haviam tomado a primeira dose ficaram sem a segunda da CoronaVac, por falta de imunizantes disponíveis.

De acordo com o portal G1, a Sesap garante que as secretarias municipais foram orientadas a guardar estoque para garantir que a segunda dose não faltasse.

Kelly Maia, coordenadora de Vigilância em Saúde, diz esperar que novas vacinas chegaram ao Rio Grande do Norte no final de semana, mas ela conta que a Sesap só recebe a confirmação do Ministério da Saúde quanto ao envio (e também quanto ao número de doses do lote) um dia antes.

"Por que o estado não segurou essas doses e só enviou em tempo oportuno? Por causa de uma reorientação do Ministério da Saúde que reafirmava que a o estado deveria distribuir todas as doses para os municípios, deixando apenas a reserva técnica, para eventuais perdas. Dessa forma fizemos, distribuímos, mas esclarecemos que boa parte daquelas doses que estavam sendo enviadas deveria ser aplicada como D2", declarou Kelly à Inter TV Cabugi, afiliada local da TV Globo.