Covid-19: veja como agendar o teste rápido na rede municipal do Rio, com início nesta terça-feira

·3 minuto de leitura

A Prefeitura do Rio começou, nesta segunda-feira, dia 11, o agendamento para testes de Covid-19. Moradores da capital que apresentarem sintomas da doença podem solicitar a testagem através da central telefônica 1746 e pelo aplicativo RIO-COVID 19, disponível apenas para aparelhos Apple — no momento ainda não habilitado para a versão para Android. As testes, segundo a Secretaria municipal de Saúde (SMS), terão início na terça-feira, dia 12.

Quem tiver sintomas do novo coronavírus, deve fazer a autonitificação, através dos canais de comunicação indicados, e preencher uma ficha relatando o que está sentindo. O questionário será analisado e o cidadão receberá o retorno de sua equipe de saúde da família. Hhavendo indicação, o teste será agendado para a unidade de Atenção Primária (clínicas da família ou centros municipais de saúde) mais próxima da casa da pessoa Não havendo indicação, o usuário receberá as orientações pertinentes da equipe de saúde.

Teste rápido

A prefeitura recebeu neste domingo, dia 10, um lote com 10 mil testes rápidos de antígeno Covid-19, ainda não usados no estado. As remessas estão em distribuição hoje, e o público poderá iniciar a testagem a partir de amanhã. Este tipo é aplicado para casos em que o vírus está ativo. No momento do cadastro, será preciso fazer uma autonotificação e declarar quais são os sintomas presentes.

O teste de antígeno é capaz de detectar a proteína do nucleocapsídeo viral do novo coronavírus. Caso o resultado seja positivo, significa infecção viral ativa. O modelo faz uso do swab nasal, cotonetes para colher material do fundo do nariz. O resultado sai em 15 minutos após a coleta, sem a necessidade de laboratório.

Como agendar

1746: através do canal de atendimento, o cidadão deverá relata quais sintomas está sentindo no momento

Aplicativo:

Segundo a SMS, as unidades de saúde continuarão realizando os testes PCR e imunológico. "A decisão de que tipo de exame realizar em cada caso é da equipe de saúde, com base na indicação clínica do paciente a ser testado", informa.

Mapeamento de dados

A Secretaria municipal de Saúde (SMS) pretende identificar surtos específicos pelos bairros e direcionar ações de bloqueio, o que pode significar fechamento de estabelecimentos. A meta é testar 450 mil pessoas. Por enquanto, chegaram 10 mil testes rápidos, doados pelo grupo União Rio, e a meta é conseguir outros 440 mil, em negociações com setor privado, e governos estadual e federal.

O epidemiologista da UFRJ Roberto Medronho avalia como positiva a chegada de mais testes, com resultados rápidos, para a capital. Segundo o especialista, a ampliação da testagem ajudará a se conhecer o quadro real da pandemia no Rio.

— Em relação aos testes, é um avanço. Nós precisamos testar muito as pessoas. Veja que, com uma tecnologia simples, nós podemos, em tempo real, saber o que está acontecendo porque a subnotificação e o retardo na notificação prejudicam muito as estimativas em relação à incidência da doença e o cálculo do R (índice que mostra a propagação dos casos). Com esses dados, eles nos ajudarão nessa estimativa do risco da ocorrência do vírus na nossa comunidade — disse Medronho em entrevista ao "Bom Dia Rio", da TV Globo, nesta segunda-feira, dia 2.

A maior testagem também trará impacto direto no aumento do índice de casos na cidade, já que atualmente existe subnotificação de dados:

— Esse R é subestimado porque ele leva em conta apenas as notificações. Quanto mais ampliar, eu posso te assegurar que esse R elevará bastante — concluiu