Covid-19: Veja por estado o número de pessoas nos grupos prioritários para vacinação

Adriana Mendes
·2 minuto de leitura

BRASÍLIA - O Ministério da Saúde informou ao Supremo Tribunal Federal (STF) que os profissionais de Saúde, os primeiros a serem vacinados de acordo com o Plano Nacional de Operacionalização contra a Covid-19, somam 5,8 milhões em todo país. O documento detalha o número de profissionais por estado e também o grupo de 4,4 milhões de pessoas com 80 anos ou mais. Os idosos também estão incluídos na fase prioritária de imunização.

De acordo com os dados, São Paulo tem 1,5 milhão de profissionais de saúde e 1 milhão de idosos com 80 anos ou mais. No Rio de Janeiro, são 545 mil e 459 mil, respectivamente.

O Ministério da Saúde contabiliza uma população de 419,2 mil indígenas no país. O Amazonas é o estado com a maior número de indígenas, são 100,6 mil.

Na lista de povos e comunidades tradicionais ribeirinhas, constam apenas dados de seis estados - Acre, Amazonas, Amapá, Roraima, Pará e Maranhão- que totalizam 286,8 mil. O número idosos com mais de 60 anos em asilos somam 419,2 mil, segundo o ministério.

Os dados estão no ofício em resposta a uma decisão do ministro Ricardo Lewandowski, do STF, que havia determinado que o governo comprovasse o estoque de seringas e agulhas para a vacinação contra a Covid-19. O ministério informou não ter seringas e agulhas suficientes para toda a campanha de vacinação.

O documento foi elaborado pelo Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis da Secretaria de Vigilância em Saúde, e depois ratificado pelo secretário Arnaldo Correia de Medeiros e pelo ministro Eduardo Pazuello.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ainda não concedeu autorização para o uso emergencial dos dois imunizantes. Os pedidos, submetidos na última sexta-feira pela Fiocruz e pelo Instituto Butantan, serão avaliados por diretores da agência no domingo.

A expectativa para o início da vacinação na próxima semana é de 8 milhões de doses, considerando a disponibilidade de 2 milhões de doses da vacina de Oxford, importada do Instituto Serum, da Índia; e 6 milhões de doses da CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan. Um outro cenário seria com a disponibilidade de apenas uma das duas opções de vacina.

Confira os dados por estado: