Covid longa: doença aumenta em 25% o risco de problemas psiquiátricos quatro meses após a infecção, diz estudo

Um estudo feito pela Universidade Estadual de Oregon, nos Estados Unidos, descobriu que pessoas recuperadas da Covid-19 têm um risco 25% maior de desenvolver um distúrbio psiquiátrico nos quatro meses após a infecção, em comparação com pessoas que apresentam outras infecções do trato respiratório. Os autores alertam para a necessidade de pacientes e profissionais de saúde serem mais proativos quando se trata de lidar com problemas de saúde mental após a infecção pelo novo coronavírus.

Padre Fábio de Melo: entenda o que é a Síndrome de Ménière; doença responsável por mudanças na aparência do religioso

Em análise pela Anvisa: Remédio para diabetes reduz 21% do peso e é saudado como um divisor de águas na luta contra a obesidade

Covid-19: Você se infectou duas, três vezes? Conheça os cinco tipos de pessoas mais vulneráveis à doença

No trabalho publicado na revista World Psychiatry, os pesquisadores analisaram dados do National Covid Cohort Collaborative (N3C), que incluiu 46.610 indivíduos. Destes, uma parte testou positivo para Covid-19, enquanto outros, utilizados como grupo controle, foram diagnosticados com outras infecções do trato respiratório.

Os diagnósticos psiquiátricos considerados ocorreram em dois períodos: de 21 a 120 dias após a Covid-29 e de 120 a 365 dias após o resultado positivo para a doença. Foram incluídos apenas pacientes sem diagnóstico anterior da doença.

Treino de 7 minutos: Aprenda a fazer um treinamento completo com apenas uma cadeira; veja exercícios

Os resultados mostraram que 3,8% dos pacientes com Covid-19 apresentaram algum transtorno psiquiátrico nesse período, em comparação com 3% para pacientes com outras infecções do trato respiratório. A diferença de 0,8% equivale a um risco relativo aumentado de cerca de 25%. A correlação se manteve apenas para transtornos de ansiedade, mas não de transtornos de humor.

Aprendizado: As 5 lições que aprendemos (ou deveríamos ter aprendido) com a pandemia para evitar novas ondas e doenças

O novo estudo confirma pesquisas anteriores e tem como pontos positivos o grande tamanho da amostra e o fato de essa coorte de dados ser extraída de todos o país. Lauren Chan, co-autora do estudo, alerta para a necessidade de pacientes estarem atentos à sua saúde mental após a Covid-19 e procurarem ajuda, na presença de sintomas. E também para os profissionais de saúde rastrearem essas condições psiquiátricas em pessoas recuperadas da doença.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos