'Cozinha é educação', ensina a chef Janaína Rueda em aula no Rio Gastronomia

·3 min de leitura

Defensora da merenda de qualidade nas escolas públicas, a chef paulistana Janaína levou os filhos para cozinharem juntos no palco do auditório Senac. Reconhecida internacionalmente por seu trabalho com o marido e chef Jefferson Rueda na Casa do Porco (único brasileiro entre os 50 melhores restaurantes do mundo e o 4° melhor da América Latina), ela comanda mais três negócios em São Paulo, além do Sítio Rueda, onde há criação de porcos para consumo nas casas do grupo e quatro hectares plantados com orgânicos.

Em todo o trabalho, o comer bem anda de mãos dadas com o comer saudável.

— Antes, a banha fazia mal, agora ela está liberada. A manteiga, o ovo, cada hora uma coisa faz bem ou mal. A gente fica perdida mesmo. O que não dá é achar normal comer tudo em caixinhas, saquinhos, como vi nas merendas escolares — contou.

Ela confirmou que pretende voltar a defender de frente uma melhor qualidade do alimento servido nas escolas. Afinal, a educação alimentar começa em casa:

— Comer é sim um ato político e pode nos ajudar a transformar o mundo. Precisamos prestar atenção, ler os rótulos, saber de onde vem, se aquele alimento artesanal é realmente bem feito.

Janaína, João Pedro e Joaquim José, seus filhos de 15 e 12 anos, cozinharam e serviram um mexidinho de farinha de mandioca e carne moída com legumes e verduras, deixando claro que a receita pode mudar de acordo com o que as pessoas têm na geladeira.

— Esse prato que vocês comeram agora é o mesmo que sirvo às quartas-feiras no centro de São Paulo. Não temos que ter vergonha da nossa comida caipira, que é barata, gostosa e nutritiva. Por que não cozinhar para a casa e também doar? Quem sabe alguém aqui vai aproveitar o dia 24 ou 25 para fazer esse mexidinho, que fica pronto em 13 minutos, e alimentar quem precisa? — instigou.

Janaína sonha em ver comida de qualidade também em aviões, aeroportos, hospitais, por exemplo. E tudo começa pela base alimentar.

— Não pode comer aquele lanche industrializado caro, aquele sanduíche ruim num vôo, e não reclamar. Cozinha é educação. São os jovens que vão crescer e mudar a lógica atual. Ufa, além de uma aula, foi um desabafo — reconheceu ela, que recebeu palmas do público.

O Rio Gastronomia é realizado pelo jornal O GLOBO, com apresentação do Senac RJ, cidade-anfitriã Invest.Rio | Prefeitura RJ, patrocínio master do Santander, patrocínio de Stella Artois, Naturgy, Coca-Cola e Sebrae, apoio de Secretaria de Turismo Governo do Estado do Rio de Janeiro, Gosto da Amazônia, Aspen Pharma, Amázzoni Gin, Água Pouso Alto, Supermercado Zona Sul, Sesc RJ, iFood e Loft, ticketeria oficial Ingresso Certo e parceria de SindRio.

Já comprou o seu ingresso?

As entradas custam R$ 65 (sáb e dom, ou R$ 32,50, a meia) e estão à venda pelo site ingressocerto.com/riogastronomia. Crianças de até 10 anos não pagam. Roda-gigante: R$ 15 (individual) e R$ 50 (para quatro pessoas).

Desconto:

Outra opção é o ingresso solidário Mesa Brasil Sesc RJ com 30% de desconto, fazendo uma doação de R$ 10 ou R$ 5 revertida em alimentos para o projeto. Na compra do ingresso para um dia, assinantes O GLOBO ganham uma 2ª entrada. Mais informações sobre descontos para assinantes do GLOBO e Valor Econômico, alunos Senac RJ e clientes Santander estão no riogastronomia.com.

Cuidado redobrado:

Os protocolos sanitários das autoridades de saúde serão seguidos. Será exigido o passaporte da vacina, com documento de identificação.

Onde:

Jockey Club Brasileiro. Praça Santos Dumont 31, Gávea.

Horários:

Sáb, do meio-dia à meia-noite. Dom, do meio-dia às 23h. Até 19 de dezembro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos