'Cozinhar é uma arte empírica', diz chef do bufê da Villa Riso. Aprenda três de suas receitas

Maíra Rubim
·2 minuto de leitura
Divulgação/BM Corp
Divulgação/BM Corp

RIO — O pai de Ignácio Peixoto teve uma criação de coelhos para venda e depois alguns restaurantes em Teresópolis. Envolvido com a cozinha desde pequeno, o chef carioca, hoje com 30 anos, chegou a fazer cursos na área na adolescência, incluindo alguns de culinária japonesa. Mesmo assim, como muitos outros, ele bem que tentou seguir novos caminhos, e ingressou na faculdade de Relações Internacionais. Mas acabou trocando-a pela de Gastronomia e se entregou à sua verdadeira paixão:

— Logo no primeiro período já estava trabalhando novamente em restaurante — conta ele, que passou pelo Grupo Irajá, de Pedro de Artagão; pelo Pipo, de Felipe Bronze; e pelo 00 Bistrô.

Atualmente à frente do bufê Sapore Blu, sediado na Villa Riso, em São Conrado, Peixoto diz que a maior vantagem é poder oferecer serviços variados. Sua cozinha atende às casas administradas pela empresa Bluemoon Corp (Villa Riso, Mansão Rosa, Sollar das Palmeiras, Baha Lounge e Mansão Santa Teresa) e demais interessados.

—É um universo diferente de restaurante, mas que tem o mesmo princípio: oferecer o melhor para tornar aquela experiência inesquecível. É bacana cozinhar para tanta gente diversa, de todos os gostos e tipos, mas também um desafio, o que só me motiva e deixa mais feliz — diz.

O chef se gaba de oferecer receitas preparadas com ingredientes artesanais. E sempre testa novidades:

— O segredo da boa comida está em dois pontos-chaves: a qualidade dos ingredientes e os processos para chegar ao resultado esperado. O que requer tentativa, repetição, experimentação... Cozinhar é uma ciência empírica.

Ele exercita a criatividade inclusive em casa:

— Cozinho muito para mim mesmo. Desde pratos mais elaborados, como teste para novas receitas, a comida caseira, de que gosto muito. Massas são uma opção à qual sempre recorro, por serem práticas e comfort.

Aos leitores, ele ensina a fazer três de suas receitas: a entrada tartare de atum com picles de cebola, o prato principal porquinho com baroa e maracujá e a sobremesa mousse de chocolate com canela e noz-moscada.

Aprenda três receitas do chef Ignácio Peixoto:

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)