CPI dá início a sessão para ouvir servidora fiscal de contrato sob suspeita da Covaxin

·1 minuto de leitura
BRASÍLIA, DF, 06.07.2021 - Os senadores da CPI da Covid ouvem a servidora do Ministério da Saúde Regina Célia, responsável pelo contrato para compra de vacinas Covaxin. O senador Randolfe Rodrigues (REDE-AP) (Centro), preside a comissão e o senador Renan Calheiros (DIR) (MDB-AL) é o relator. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress, PODER)
BRASÍLIA, DF, 06.07.2021 - Os senadores da CPI da Covid ouvem a servidora do Ministério da Saúde Regina Célia, responsável pelo contrato para compra de vacinas Covaxin. O senador Randolfe Rodrigues (REDE-AP) (Centro), preside a comissão e o senador Renan Calheiros (DIR) (MDB-AL) é o relator. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress, PODER)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A CPI da Covid deu início na manhã desta terça-feira (6) à sessão em que deverá ouvir o depoimento de Regina Célia Silva Oliveira, servidora do Ministério da Saúde que teria autorizado a importação da vacina indiana Covaxin apesar de problemas no contrato.

Considerada fiscal do contrato, ela será questionada pelos senadores se sofreu algum tipo de pressão para dar seguimento à negociação.

Também estão na pauta requerimentos pedindo dados de Cristiano Carvalho, representante da Davati Medical Supply, e de Luiz Paulo Dominguetti, vendedor de vacinas que afirmou ao jornal Folha de S.Paulo ter recebido pedido de propina de US$ 1 por dose em troca de fechar contrato com o Ministério da Saúde.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos