CPI dá 48h para Queiroga explicar abandono da Coronavac em 2022

·1 minuto de leitura
Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, em depoimento à CPI da Covid
CPI da Covid desistiu de ouvir pela terceira vez ministro da Saúde, Marcelo Queiroga (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
  • CPI da Covid no Senado dá 48h para ministro Marcelo Queiroga explicar abandono da Coronavac em 2022

  • Ministério da Saúde anunciou que governo federal não tem intenção de adquirir novas doses do imunizante

  • Comissão desistiu de ouvir pela terceira vez ministro da Saúde

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid no Senado aprovou nesta terça-feira (5) requerimento com questionamentos ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, sobre a descontinuidade do uso da Coronavac em 2022. O ministério anunciou que não há intenção do governo federal em adquirir novas doses do imunizante desenvolvido pelo laboratório chinês Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan, ligado ao governo do estado de São Paulo.

Como um novo depoimento do ministro foi descartado, a comissão encaminhou os questionamentos. Apresentado pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), o documento cobra em 48 horas as seguintes informações:

  • Detalhes do Plano Nacional de Imunização a ser executado em 2022

  • Programa de Acompanhamento Epidemiológico

  • Medidas tomadas para esclarecer dúvidas da população em relação à vacinação e

  • Detalhes sobre a descontinuidade da aplicação da Coronavac a partir do ano que vem

  • Atual composição da câmara técnica em imunização.

Leia também:

Os senadores também querem saber a atual situação do estoque de vacinas contra a covid-19 e qual o planejamento das campanhas de vacinação para a vacinação de adolescentes e aplicação da dose de reforço da vacina contra a covid-19 em idosos e trabalhadores da área da saúde.

Nesta terça, a CPI ouve o sócio da VTCLog Raimundo Nonato Brasil. A empresa de logística, encarregada do transporte de medicamentos e vacinas, é investigada por suspeita de corrupção e sobrepreço em contrato com o Ministério da Saúde. 

A comissão apura a relação de Roberto Ferreira Dias, ex-diretor do Departamento de Logística do Ministério da Saúde, apadrinhado por lideranças do Centrão, em contrato entre a empresa e o Ministério da Saúde.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos