CPI da Covid convoca ministro da CGU, Wagner Rosário

·2 minuto de leitura
Wagner Rosário, ministro da CGU, foi convocado para depor na CPI da Covid no Senado (Foto: Isac Nóbrega/PR)
Wagner Rosário, ministro da CGU, foi convocado para depor na CPI da Covid no Senado (Foto: Isac Nóbrega/PR)

Senadores da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid aprovaram, nesta quinta-feira (10), a convocação do controlador-geral da União, Wagner Rosário. Ele será questionado sobre casos de desvios de recursos federais enviados aos estados e municípios destinados ao combate à pandemia.

Apesar do requerimento ser de autoria do senador governista Eduardo Girão (Podemos-CE), o senador Marcos Rogério (DEM-RO), membro da bancada aliada a Bolsonaro.

Leia também

Senadores aprovaram também a quebra de sigilos telefônico e telemático dos ex-ministros Eduardo Pazuello e Ernesto Araújo.

Em seu depoimento à CPI, Pazuello negou que o Ministério da Saúde não tenha respondido proposta da Pfizer para a compra de vacinas contra a covid-19. "Todas foram respondidas", assegurou o ex-ministro, acrescentando que "foram dezenas de reuniões e negociações".

O ex-ministro disse que o governo não aceitou as ofertas da farmacêutica em 2020 porque considerou que o preço das doses era caro em relação a outras negociações que estavam sendo feitas com outros laboratórios. Ele também disse que considerava a quantidade de doses pequena para os primeiros meses, mesmo havendo a previsão de entrega de doses ainda em 2020.

Ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, no segundo dia de depoimento na CPI da Covid no Senado (Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)
Ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, no segundo dia de depoimento na CPI da Covid no Senado (Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)

O general também se contradisse em relação a dados sobre o colapso no sistema de saúde de Manaus.

Além disso, os senadores aprovaram o convite para depor ao presidente do Conselho Nacional de Saúde, Fernando Pigatto, e a um representante do Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde).

A CPI aprovou ainda a quebra de sigilos de:

A CPI ia ouvir nesta quinta-feira o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), mas ele não compareceu após obter um habeas corpus no Supremo Tribunal Federal (STF), concedido pela ministra Rosa Weber. O presidente da comissão, senador Omar Aziz (PSD), anunciou que a CPI que vai recorrer da decisão.

A CPI da Pandemia recebe na sexta-feira (11) a microbiologista Natalia Pasternak e o médico sanitarista Claudio Maierovitch.