CPI da Covid: isolados nos estados, maioria dos governadores convocados busca apoio de Bolsonaro em 2022

·1 minuto de leitura

RIO — Enfrentando possíveis cenários de isolamento político em seus estados, a maioria dos nove governadores convocados à CPI da Covid têm buscado apoio do presidente Jair Bolsonaro para as eleições de 2022. Apesar do alinhamento a Bolsonaro, que defendeu investigações contra governantes locais, a expectativa é que ao menos seis desses governadores assinem uma ação coletiva no Supremo Tribunal Federal (STF) para suspender os depoimentos, conforme revelou a colunista do GLOBO, Bela Megale. A previsão é que os depoimentos ocorram a partir da última semana de junho.

Cinco dos governadores convocados — Carlos Moisés (Santa Catarina), Ibaneis Rocha (Distrito Federal), Wilson Lima (Amazonas), Marcos Rocha (Rondônia) e Antonio Denarium (Roraima) — se elegeram em 2018 como novatos na política, impulsionados pela onda bolsonarista. Além deles, os governadores do Tocantins, Mauro Carlesse, e do Amapá, Waldez Góes, que não podem concorrer à recondução, procuram manter boa relação com o Planalto para encaminhar suas sucessões.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos