CPI da Covid pede ao MPF que investigue depoente por crime de homofobia contra senador

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA — O senador Fabiano Contarato (Rede-AP), que é homossexual, pediu que a Polícia Legislativa do Senado apure se o empresário Otávio Fakhoury cometeu o crime de homofobia. No Twitter, Fakhoury usou um erro de grafia de Contarato, que usou a palavra "fragrancial" em vez de "flagrancial" para fazer um ataque homofóbico contra Contarato.

O pedido do senador foi aprovado pela CPI que determinou o envio do relato do senador para o Ministério Público."O delegado homossexual assumido talvez estivesse pensando no perfume de alguma pessoa ali daquele plenário. Quem seria o perfumado que o cativou", escreveu Fakhoury na postagem.

Na CPI, ele disse que foi um comentário infeliz e uma brincadeira de mau gosto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos