CPI da Pandemia pode pedir prisão preventiva de lobista

·1 minuto de leitura
O senador Randolfe Rodrigues (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
O senador Randolfe Rodrigues (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
  • Caso Marconny Faria não seja localizado, o senador Randolfe Rodrigues afirmou que será pedida a prisão preventiva dele

  • O depoente chegou a alegar que está internado em um hospital da capital federal e que, por isso, não poderia prestar esclarecimentos nesta quinta

  • Marconny Faria é apontado como lobista da Precisa Medicamentos

O vice-presidente da CPI da Pandemia, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), afirmou que a comissão fez a solicitação para que a polícia legislativa conduza Marconny Faria ao Senado. Mas, caso ele não seja localizado, o senador afirmou que poderá ser pedida a prisão preventiva dele.

O depoente chegou a alegar que está internado em um hospital da capital federal e que, por isso, não poderia prestar esclarecimentos nesta quinta, mas a ministra do Supremo Tribunal Federal Carmen Lúcia determinou que ele compareça, mas poderá ficar em silêncio.

Leia também:

Por isso, o senador foi questionado sobre o assunto. Ainda segundo o vice-presidente da CPI, dessa forma, ele poderá ser considerado foragido e a Interpol poderá ser acionada caso ele tenha deixado o Brasil.

Marconny Faria é apontado como lobista da Precisa Medicamentos e seu nome surgiu em uma investigação do Ministério Público Federal no Pará que apura se ele teria atuado para que a Precisa vencesse uma licitação para de teste de covid-19.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos