CPI descobre presença de senador em negociação irregular, mas depoente se nega a revelar nome

·2 minuto de leitura
CPI da Pandemia realiza oitiva do ex-secretário-executivo da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED). O objetivo é esclarecer fatos sobre suposto pedido de propina de um dólar por dose em negociação de vacinas da AstraZeneca.

À mesa, o ex-secretário-executivo da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos da Anvisa, José Ricardo Santana.

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado
CPI da Pandemia realiza oitiva do ex-secretário-executivo da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED), José Ricardo Santana (Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)
  • Mensagens no celular de José Ricardo Santana mostram que ele e Coronel Blanco estiveram com um senador da República

  • Com HC dado pelo STF, depoente optou por ficar em silêncio e não revelou quem era o senador

  • Para Simone Tebet, mensagem é definitiva para relatório de Renan Calheiros

Mensagens obtidas no celular de José Ricardo Santana, que depõe à CPI da Covid nesta quinta-feira (26), revelam que ele e o Coronel Blanco, ex-funcionário do Ministério da Saúde, se encontraram com algum senador da República. O depoente, no entanto, não disse quem era o parlamentar

"Meu amigo aqui estará às 20h com o senador, fechou agora na minha frente. E aí explico direito para eles. O Coronel Blanco está aqui e estamos aguardando eles", diz a mensagem, enviada em 2 de junho de 2020, lida pelo senador Humberto Costa (PT). 

Leia também:

"Agora, quem é esse senador?", questionou o senador Humberto Costa. "Isso é sério, viu."

Segundo a senadora Simone Tebet (MDB-MS), a mensagem era a prova que faltava ao relator, Renan Calheiros (MDB-AL). "O relator disse que nesse mesmo dia 2 de junho, tem um telefonema do senhor Santana, portanto o depoente, informando que estão na DLog com o Coronel Blanco, é o mesmo dia", complementou Tebet. 

José Ricardo Santana, no entanto, apelou para a prerrogativa adquirida por meio de habeas corpus, concedido pelo Supremo Tribunal Federal, para ficar calado. Santana, que presta depoimento nesta quinta-feira (26) à comissão, foi um dos participantes do encontro, que ocorreu em Brasília, quando teria sido feito o pedido de propina para a venda de 400 milhões de doses da vacina contra a covid-19 da Astrazenca para o governo federal.

Confira o cronograma da CPI na próxima semana

  • Na terça-feira (31): o ex-secretário de Saúde do DF, Francisco Araújo Filho

  • Na quarta-feira (1º): o advogado, que teria ligações com a FIB Bank, Marcos Tolentino

  • Na quinta-feira (2): motoboy Ivanildo Gonçalves da Silva

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos