CPI: Senador acusa Fakhoury de crime de homofobia e depoente é autuado

·1 minuto de leitura

O senador Fabiano Contarato (Rede-AP), que é homossexual, pediu que a Polícia Legislativa do Senado apure se o empresário Otávio Fakhoury cometeu o crime de homofobia. 

No Twitter, Fakhoury usou um erro de grafia de Contarato, que usou a palavra "fragrancial" em vez de "flagrancial" para fazer um ataque homofóbico contra Contarato.

Leia também:

O pedido do senador foi aprovado pela CPI da Covid-19 que determinou o envio do relato do senador para o Ministério Público.

"O delegado homossexual assumido talvez estivesse pensando no perfume de alguma pessoa ali daquele plenário. Quem seria o perfumado que o cativou", escreveu Fakhoury na postagem.

"O senhor não conhece minha família, meus filhos, e espero que o senhor não passe pelo que eu passei. O senhor não é um adolescente, eu não poderia deixar de me pronunciar", desabafou Contarato. "Eu fico me colocando no lugar dos seus filhos, isso vai ficar no Senado Federal para o infinito. Eu também tenho um sonho de não ser orientado pela minha orientação sexual. O senhor fala na família, mas a minha família não é pior do que a sua", acrescentou.

Na CPI, ele disse que foi um comentário infeliz e uma brincadeira de mau gosto. Em resposta, Fakhoury disse ainda que "não teve a intenção de ofender".

O vice-presidente da comissão, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), determinou autuação de Otávio Fakhoury por "eventual crime de homofobia por parte do depoente contra o senador da República" e pediu que a denúncia seja encaminhada para o Ministério Público Federal (MPF).

do Extra

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos