CPI vai pedir com certeza o indiciamento de Bolsonaro, diz Renan

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Presidente Jair Bolsonaro
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - O relator da CPI da Covid do Senado, Renan Calheiros (MDB-AL), afirmou nesta terça-feira que a comissão "com certeza" vai propor o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro, acrescentando que o relatório final dos trabalhos deverá ser remetido para vários órgãos de controle.

"Pode ser? Com certeza será (indiciado). Nós não vamos falar grosso na investigação e miar no relatório. Ele com certeza será, sim, pelo o que praticou", disse o relator, em entrevista a jornalistas.

A expectativa é que Renan apresente seu parecer final dos trabalhos no dia 19 para ser votado no dia seguinte.

O relator disse que haverá um fatiamento dos resultados da CPI para vários órgãos. Segundo ele, por exemplo, a Procuradoria-Geral da República (PGR) vai receber as informações referentes a autoridades com foro privilegiado -- é o caso de Bolsonaro. Por lei, a PGR tem 30 dias para se pronunciar sobre os achados da comissão de inquérito.

O Ministério Público e o Tribunal de Contas da União serão outros órgãos para os quais essas informações serão repassadas, segundo Renan.

A CPI nesta semana toma seus últimos depoimentos, e na próxima semana o relator deverá se concentrar na confecção do relatório final, a ser votado na semana seguinte.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos