Cracolândia cresce, e Polícia faz quarta operação no Centro de SP em um mês

O aumento de usuários de drogas na Rua Helvetia, no Centro de São Paulo, levou a Polícia Civil a fazer, na tarde desta terça-feira, a quarta operação na cracolândia em um mês. A rua foi ocupada por traficantes e usuários depois da operação policial que retirou o grupo da Praça Princesa Isabel. Em dez dias, o número de frequentadores cresceu de 250 para 350, segundo o delegado do 77º DP, Severino Vasconcelos.

Imagens compartilhadas nas redes sociais mostraram a abordagem. Durante a operação, todas as pessoas precisaram ficar sentadas. No final da revista, os dependentes químicos puderam recolher seus pertences, como cobertores e objetos.

Desde a dispersão da Praça Princesa Isabel, os usuários de droga têm se espalhado pelas ruas do Centro e até mesmo em bairros vizinhos. Há registros de aglomerações nos entornos da Praça Júlio Prestes, que funcionou como cracolândia por mais de 20 anos, alguns pontos da avenida Duque de Caxias e nas ruas Arpa e Mauá. Porém, é na Rua Helvétia que tem se concentrado o maior contingente.

A Prefeitura de São Paulo trabalha com a estratégia de manter os usuários dispersos, como forma de minar o poder dos traficantes e facilitar abordagem de assistentes sociais.

A ação faz parte da Caronte, operação iniciada em abril de 2021 que investiga o tráfico de drogas na região. Apenas três dos 37 mandados de prisão foram cumpridos.

*Estagiária sob supervisão de Cleide Carvalho

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos