Cracolândia tenta fixar novos pontos de concentração em ruas do centro de SP

SÃO PAULO, SP, 12.05.2022 - Usuários de crack se concentram na avenida Rio Branco com duque de Caxias a menos de 100 metros da praça Princesa Isabel. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)
SÃO PAULO, SP, 12.05.2022 - Usuários de crack se concentram na avenida Rio Branco com duque de Caxias a menos de 100 metros da praça Princesa Isabel. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O fluxo da Cracolândia passou a madrugada e a manhã desta quinta-feira (12) tentando se fixar em novos pontos do centro de São Paulo um dia após ação policial que esvaziou a praça Princesa Isabel, onde estava desde o dia 18 de março.

Por volta das 8h, moradores de rua e dependentes químicos ficaram a poucos metros dali, na esquina das avenidas Rio Branco e Duque de Caxias. Carros da GCM (Guarda Civil Metropolitana) apareceram em seguida e os tiraram de lá.

O mesmo aconteceu na esquina das ruas do Triunfo e dos Gusmões, na Santa Ifigênia, que passaram a madrugada com as calçadas tomadas pelos usuários, segundo moradores.

Ponto habitual de dependentes químicos há mais de 20 anos, as ruas voltaram a serem tomadas por tráfico e uso ostensivo de crack desde a noite desta quarta-feira (11). Um comerciante que não quis se identificar disse que está lá desde 2002 e foi a primeira vez que viu as ruas e calçadas dominadas pelos usuários. Até então, segundo ele, o movimento existia, mas era bem menor.

O dono de uma loja de materiais de construção na rua do Triunfo temia abrir as portas por volta das 8h. Ele mostrou imagens da câmera de segurança que mostram como a calçada em frente ao estabelecimento ficou intransitável durante a madrugada. Em seguida, ele abriu apenas uma das portas de ferro da loja.

Pouco antes, um carro da GCM entrou na rua do Triunfo em zigue-zague e mandou os usuários saírem de lá. Um homem no meio do fluxo gritou "Acabou a diária", e todos se levantaram e seguiram para a avenida Rio Branco.

Moradores dos bairros de Santa Cecília e Barra Funda passaram a noite postando vídeos nas redes sociais que mostravam o movimento de grupos de usuários de drogas pelas ruas.

Uma parte chegou a ocupar a praça Marechal Deodoro, em Santa Cecília, mas carros da Guarda Civil apareceram para tirá-los de lá. Houve registro de concentração na rua Apa.

Os vídeos também mostraram helicópteros da polícia sobrevoando os bairros com holofotes para acompanhar a movimentação.

Na rua do Triunfo, comerciantes disseram estranhar a nova pensão que passou a funcionar onde antes era uma loja de itens eletrônicos. A maioria dos estabelecimentos da via é comercial.

De acordo com as investigações da operação Caronte, da Polícia Civil de São Paulo, o tráfico de drogas usava pensões nas proximidades das praças Princesa Isabel e Júlio Prestes como ponto de apoio para guardar drogas.

A operação policial deflagrada na madrugada desta quarta-feira esvaziou a praça Princesa Isabel, ocupada pelo fluxo da cracolândia desde o dia 18 de março, quando os usuários deixaram o entorno da Júlio Prestes por ordem do crime organizado, segundo a policia.

A 1ª Delegacia Seccional do Centro contabilizou seis prisões --a última foi confirmada nesta manhã-- na operação e apreensão de drogas, armas, dinheiro e balanças de precisão. Havia 36 mandados de prisão para serem cumpridos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos