Credit Suisse eleva Telefônica Brasil para 'outperform'; vê setor atrativo para 2023

Logotipo da Telefônica Brasil

(Reuters) - As ações da Telefônica Brasil avançavam nesta quinta-feira, entre os destaques positivos do Ibovespa, endossadas por relatório do Credit Suisse elevando a recomendação dos papéis a 'outperform'.

"À luz de uma perspectiva macro desfavorável e baixas expectativas para ações, acreditamos que os papéis de telecomunicações são investimentos atrativos em 2023", afirmaram os analistas Daniel Federle e Victor Ricciuti.

A Telefônica Brasil, que opera sob a marca Vivo, e a TIM, que permaneceu com classificação 'outperform' e continua sendo a preferida deles no setor, têm um perfil defensivo e estão com valuations descontados, acrescentaram.

Por volta de 11:15, as ações da Telefônica Brasil avançavam 1,78%, a 37,09 reais cada, enquanto o Ibovespa mostrava acréscimo de 0,75%. No mesmo horário, os papéis da TIM caíam 0,5%, a 11,84 reais.

Eles calculam que as receitas de ambas devem ter um crescimento moderado neste ano, dado o cenário macro ruim, mas preveem uma expansão robusta do fluxo de caixa, de cerca de 30% ano a ano em 2023.

"Em 2023, esperamos redução nas promoções abaixo da linha, menor churn (cancelamento) e algum nível de aumento de preços nas lojas", escreveram no relatório com data da véspera.

"Conversando com as empresas, sentimos que há um desejo de aumentar os preços principais de forma mais ampla, o que não está contemplado em nossas estimativas e seria um catalisador positivo", afirmaram.

Na visão de Federle e Ricciuti, um aumento mais proeminente nos preços principais aumentaria as receitas e as margens e renovaria a visão de que as empresas de telecomunicações podem aumentar as receitas acima da inflação de maneira sustentável.

"A grande questão é se as condições macro permitirão isso."

Ainda assim, os analistas reduziram os preços-alvo dos papéis das duas companhias, citando crescimento ligeiramente menor e aumento do custo do capital próprio (Ke). No caso da Telefônica Brasil, passou de 52 reais para 46 reais. TIM teve redução de 16,50 para 15,50 reais.

Também diminuíram ligeiramente as estimativas de receita, Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) e lucro líquido para Telefônica Brasil e TIM em 2023 devido a um cenário macroeconômico mais desafiador.

"Em termos práticos, assumimos em nosso cenário base aumentos tímidos de preços, inflação de custos mais elevada e despesas financeiras altas ao longo de todo o ano - taxa Selic estável e inflação de 6% em 2023", afirmaram.

(Por Paula Arend Laier)