Cremesp abre 25 sindicâncias contra Prevent Senior em SP

·2 min de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A atuação da operadora de saúde Prevent Senior durante a pandemia de coronavírus é investigada em 25 sindicâncias abertas no Cremesp (Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo).

A informação foi divulgada pela GloboNews e confirmada pela reportagem.

O Cremesp não comenta o conteúdo das apurações, que tramitam sob sigilo. Afirma apenas que elas são respostas a denúncias feitas no contexto da pandemia.

As condutas da operadora no tratamento da Covid-19 são alvo de apurações também no Ministério Público paulista e em uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) na Câmara Municipal de São Paulo, e foram investigadas ainda na CPI do Senado que tratou do tema.

Um dos principais questionamentos à Prevent Senior, que tem foco no atendimento de idosos, é a distribuição do chamado "kit Covid", composto por medicamentos sem comprovação científica para a doença.

Com a repercussão do caso, surgiram denúncias de doentes que não estavam em estado terminal e foram encaminhados para receber cuidados paliativos e de pacientes mortos em estudo conduzido para examinar a eficácia de medicamentos contra a Covid, sem que soubessem que participavam de uma pesquisa, entre outros problemas.

Segundo dossiê entregue por um grupo de médicos à CPI do Senado, a operadora omitiu sete mortes em estudo sobre hidroxicloroquina. A operadora nega.

No início de outubro, o jornal Folha de S.Paulo mostrou ainda que 7 dos 13 hospitais da operadora de saúde funcionavam sem licença na capital paulista.

Na semana passada, a prefeitura negou a regularização de três deles por uma série de inconformidades.

A Prevent Senior afirmou na ocasião que atuava para sanar os problemas.

A operadora também assinou no último dia 22 de outubro um termo de ajustamento de conduta com o Ministério Público paulista se comprometendo a não distribuir mais o chamado "kit Covid".

Procurada nesta terça-feira (2) para comentar as sindicâncias, a operadora, em nota, afirmou que "acredita que as investigações do Cremesp serão mais uma boa oportunidade para analisar as denúncias de forma técnica, sem viés político, como ocorreu até o momento".

A empresa informou ainda que "requereu ao Cremesp instauração de sindicância para investigação da conduta de três ex-integrantes do corpo clínico, que fizeram acusações mentirosas contra a Prevent Senior". "O pedido foi deferido e as investigações estão em andamento", disseram.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos