Cresce em 47% número de pensões por morte concedidas na pandemia

·1 minuto de leitura
hands of black senior man holding work book
hands of black senior man holding work book
  • Período analisado vai de março de 2020 a março de 2021

  • A fila de espera para receber o benefício aumentou quase 47%

  • O número de solicitações também subiu 55%

Aumentou em 47,3% o número de pensões por morte concedidas no Brasil desde o início da pandemia de Covid-19, de acordo com dados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Em março do ano passado, foram concedidos 27.387 benefícios, enquanto no mesmo mês em 2021 foram liberados 40.339.

A fila de espera pelo recebimento da pensão também cresceu. Entre os meses de março de 2020 e março de 2021, a fila cresceu 46,7%, ou de 153.293 pessoas para 224.925, de acordo com o Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP) e INSS.

Leia também:

Cresceu também o número de solicitações no período, de 43.210 para 67.277, ou um aumento de 55,7% pedidos.

O aumento, de acordo com levantamento do portal UOL, se dá por dois motivos. O primeiro é o número de mortes causadas pela Covid-19, que já está em quase 500 mil. O segundo é a mudança no INSS após a Reforma da Previdência, em 2019. As alterações no cálculo da pensão por morte significaram que as plataformas também precisavam ser reformadas, o que levou um ano para acontecer.

Dentre as mudanças, foi alterado o valor pago. Antes da reforma, a família recebia 100% da aposentadoria do segurado ou do benefício ao qual ele tinha direito. Depois da reforma, ficou definido o recebimento de 50% do valor, mais 10% para cada dependente, com limite de 100%.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos