Cresce a cisão em corpo político do Pacífico

·1 minuto de leitura
O Fórum das Ilhas do Pacífico é composto principalmente de pequenos Estados insulares do Pacífico, juntamente com a Austrália e a Nova Zelândia, e é um elemento-chave da diplomacia dos aliados dos EUA na região

A divisão de liderança do Fórum das Ilhas do Pacífico (PIF) aumentou neste domingo (sábado, 6, no Brasil), quando as Ilhas Marshall expressaram sua desaprovação ao corpo político central em uma região onde os Estados Unidos e a China estão competindo por influência.

Palau já anunciou que está se retirando da organização e se reunirá com as Ilhas Marshall e outros membros do fórum da Micronésia na segunda-feira para discutir o que foi descrito como "uma grande fratura" na unidade regional.

A disputa estourou na quinta-feira, quando o candidato da Micronésia a próximo secretário-geral da organização foi rejeitado em favor do ex-premier das Ilhas Cook, Henry Puna, após uma reunião virtual de líderes do órgão de 18 membros.

Os cinco Estados da Micronésia - Palau, Ilhas Marshall, Kiribati, Nauru e Estados Federados da Micronésia - argumentaram que era sua vez de preencher o cargo, segundo um acordo informal que existe há décadas.

"Precisamos reavaliar nosso relacionamento com o PIF. Eles ignoraram o 'acordo de cavalheiros' e não podemos mais aguentar", disse o ministro das Relações Exteriores das Ilhas Marshall, Casten Nemra.

O PIF é composto principalmente de pequenas nações insulares do Pacífico, juntamente com a Austrália e a Nova Zelândia, e é um elemento-chave dos esforços diplomáticos dos aliados dos EUA na região.

No entanto, qualquer divisão no fórum poderia fornecer uma abertura para a China aumentar sua influência sobre esses países escassamente povoados, mas estrategicamente importantes.

As nações da Micronésia há muito sentem que seus Estados insulares do Pacífico norte foram negligenciados em favor de seus vizinhos maiores e mais influentes no sul.

gj/cf/hr/leg/ic