Cresce o número de jovens ‘nem-nem’ no Brasil

Pixabay

O número de jovens com idade entre 16 e 29 anos que não trabalha nem estuda, conhecidos como os “nem-nem”, ultrapassou  no ano passado os 11,7 milhões, o equivalente a 25,8% da população nessa faixa etária. Em 2014, o número era equivalente a 22,7% das pessoas nessas idades. Os dados, divulgados na Síntese de Indicadores Sociais 2017,a apontam que um dos principais motivos para o aumento é o desemprego causado pela recessão enfrentada pelo Brasil nos últimos anos.

“Esse aumento se deu não pela diminuição da frequência escolar, ele veio do aumento dos jovens não ocupados”, explica Luanda Botelho, analista da coordenação de População e Indicadores Sociais do IBGE.

Em 2016, a faixa etária com o maior número de desempregados foi a de jovens entre 16 e 29 anos, o que fez com que a taxa de desemprego desses jovens chegasse a 21,1%, quase o dobro do obtido em 2014, com 12,8%.

Regiões

A maior parte dos “nem-nem” fica no Sudeste: dos 11.648 jovens na categoria, 4.364 ficam na região. Em segundo lugar aparece o Nordeste, com 4.138 alunos. Em terceiro lugar aparece a região Norte, com 1.206 jovens, a região Sul, com 1.168 e a região Centro-Oeste, com o menor número de jovens sem trabalho e estudo, com 778.

Perfil

Os jovens que não trabalham nem estudam possuem, em sua maioria, entre 18 e 24 anos, são do sexo feminino e possuem ensino médio completo ou nível superior.