Cresce procura por imóveis sem garagem para alugar durante a pandemia

·1 minuto de leitura

Durante o primeiro trimestre de 2021, houve crescimento de 25% no número de aluguéis de imóveis residenciais que não contam com nenhuma vaga de garagem, na comparação com o mesmo período do ano passado. É o que apontou um levantamento feito pela plataforma digital de moradia QuintoAndar. Em algumas cidades, como Belo Horizonte, o crescimento ultrapassa 56%.

No primeiro trimestre deste ano, um em cada quatro apartamentos alugados pela companhia não possuía garagem, e cerca de 85% dos usuários do site não utilizam o filtro de garagem na hora de escolher uma residência. Para a plataforma, essa falta de interesse pode estar relacionada à mudança de hábitos dos brasileiros durante a pandemia de Covid-19: com a adoção do sistema de home office, o carro deixou de ser um item primordial para muitos trabalhadores. Além disso, nos últimos meses, houve alta expressiva no preço dos combustíveis, o que fez alguns motoristas venderem seus veículos e começarem a usar carros por aplicativo.

A construção de empreendimentos sem garagem, tendência percebida nos últimos anos em algumas cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre, também pode ser mais uma razão para o fenômeno.

"No último ano, vimos surgir necessidades em relação a casa que não tínhamos antes, como home office e espaços para lazer. Por outro lado, outras coisas deixaram de fazer sentido, como as vagas de garagem. Ainda é muito cedo para dizer se todas essas mudanças serão duradouras, mas o que podemos afirmar é que a pandemia mudou a forma com que pensamos as necessidades de moradia", conta Flávia Mussalem, diretora de marketing do QuintoAndar.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos