Criança é perfurada por ferrão de peixe venenoso no litoral de SP

Uma criança de 11 anos teve o pé perfurado por um ferrão venenoso de 7 cm de um peixe bagre no litoral de São Paulo. A menina se machucou enquanto nadava em um rio em Ilha Comprida. Após o incidente, Alexandra Bolonha foi atendida pelos bombeiros que a encaminharam ao Pronto Atendimento (PA) da cidade. Ela foi medicada e passa bem.

A mãe, Sidineia Bolonha, afirmou que a filha estava nadando quando bateu o pé no ferrão de um peixe bagre que estava morto. De acordo com ela, em um primeiro momento os médicos anestesiaram o local para tirar o ferrão e não conseguiram. Em seguida, foi preciso fazer um pequeno corte para o espigão sair.

Leia: Casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) diminuem em todas as faixas etárias da população adulta

Veja: Morte de universitária de 20 anos é investigada pela polícia do Paraná

— A dor pode durar horas, causar inchaço no local, febre e até necrose. O espinho é extremamente duro e mesmo se o animal estiver morto, vai entrar e causar problemas. Por isso, é necessário procurar atendimento médico com urgência — explicou o biólogo Eric Comin, em entrevista ao G1.

Segundo o especialista, o veneno passado por meio do espinho do bagre pode causar inchaço, febre e até necrose. A espécie é comum em toda a costa brasileira e os acidentes acontecem com muita frequência.

Leia também: Jovem com deficiência intelectual denuncia ter sido estuprada pelo vizinho no PR: 'ele fez vídeo no celular'

O biólogo ressaltou que é importante que o ferrão seja removido por um médico, pois se não for retirado com cuidados especiais, pode quebrar, e o pedaço que permanecer dentro da vítima pode causar outras complicações, como inflamação e infecção.