Criança morre em Nova York de doença possivelmente ligada a coronavírus

Crianças com máscaras aplaudem pessoal médico ao passarem de carro por um hospital em Nova York, 23 de abril de 2020

Um menino de 5 anos morreu na cidade de Nova York após apresentar sintomas da doença de Kawasaki e a síndrome do "choque tóxico", possivelmente ligadas ao novo coronavírus, indicou nesta sexta-feira o governador Andrew Cuomo.

O estado de Nova York registrou 73 casos de crianças em estado grave com estes sintomas inflamatórios, assinalou o governador, em entrevista coletiva. "Na quinta-feira passada, um menino de 5 anos morreu de complicações relacionadas à Covid-19, e pode haver outras mortes, que estão sendo investigadas pelo departamento de saúde do estado."

Outra morte relacionada a esta síndrome inflamatória, de um jovem de 14 anos na Inglaterra, foi reportada em uma pesquisa divulgada esta semana pela revista médica "The Lancet".

Na última terça-feira, o prefeito de Nova York, Bill de Blasio, havia informado sobre 15 crianças com esta síndrome inflamatória grave na cidade. Dos 15 casos identificados, quatro apresentaram resultado positivo para a doença Covid-19 e seis já possuíam os anticorpos que demonstram que tiveram a doença.

Crianças e jovens apresentaram dor abdominal, vômito, erupção cutânea e febre persistente, sintomas consistentes com a síndrome do "choque tóxico" e a doença infantil de Kawasaki.

O governo municipal solicitou que hospitais e centros médicos estivessem atentos a esses sintomas e relatassem os possíveis casos, a fim de identificar se há uma correlação com a doença Covid-19.

As crianças afetadas podem precisar de hospitalização em terapia intensiva e suporte cardíaco e respiratório, disse Blasio.

No final de abril, o Serviço Nacional de Saúde Britânico (NHS) havia alertado sobre esta doença. Outros países que haviam detectado uma situação semelhante se seguiram: Espanha, França e Bélgica, entre outros.

Os médicos britânicos que analisaram os oito primeiros casos observados em Londres escreveram na The Lancet que poderia se tratar de "um novo fenômeno, que afeta crianças que não apresentaram sintomas e para quem a infecção por SARS-CoV-2 se manifesta como uma síndrome hiperinflamatória". A maioria das crianças afetadas responde positivamente aos tratamentos.

A doença de Kawasaki, descrita pela primeira vez em 1967, causa uma inflamação dos vasos sanguíneos em crianças (erupções cutâneas, gânglios, conjuntivite e problemas cardíacos nos tipos mais graves).

O novo coronavírus já infectou mais de 330 mil pessoas e matou mais de 20 mil no estado de Nova York.