Crianças e adolescentes a espera de adoção visitam o Cristo Redentor

Logo Agência Brasil
Logo Agência Brasil

Um grupo de 40 crianças e adolescentes na fila de adoção visitou hoje (27), o Santuário Cristo Redentor na terceira edição da campanha Braços Abertos para Adoção, uma iniciativa do Tribunal de Justiça do Rio com apoio do Santuário Arquidiocesano do Cristo Redentor e do Trem do Corcovado. O encontro teve a finalidade incentivar e dar visibilidade ao tema da adoção, destacando a importância do acolhimento destes jovens.

No evento, as crianças receberam lanches, presentes, visitaram as instalações do Cristo Redentor, a maior parte pela primeira vez, receberam informações sobre a história da construção do monumento e demonstraram emoção durante o passeio.

Notícias relacionadas:

“É muito legal, estou adorando”, disse com alegria Samanta, há três anos vivendo em um abrigo.  Já Bernardo destacou do que mais gostou: “Adorei ver o Maracanã”. Os irmãos Juan, de 12 anos, e Renan, de 13, estão há cerca de um ano à espera de adoção e nunca tinham ido ao Cristo. Os dois já têm planos para o futuro: ingressar na carreira militar.

O presidente do Tribunal de Justiça do Rio, desembargador Henrique Carlos de Andrade Figueira, disse que a iniciativa é motivo de orgulho para o Judiciário.

“Temos que sempre trabalhar com quem faz o bem, com quem está sempre próximo das pessoas, olhando para os necessitados. A Igreja, aqui representada, é um braço muito forte neste trabalho tão bonito, tão importante, que a gente ajuda a realizar na nossa cidade, no nosso estado. Esse programa Braços Abertos para Adoção é uma iniciativa que dá muito orgulho a toda a Justiça brasileira, especialmente a Justiça do Rio de Janeiro”, disse.

O juiz Sérgio Luiz Ribeiro de Souza, da Coordenadoria Judiciária de Articulação das Varas da Infância, da Juventude e do Idoso, ressaltou a relevância de não idealizar padrões para a adoção.

“Nossa ideia é trazer estas crianças e adolescentes para o convívio comunitário, apresentá-los a um ponto turístico maravilhoso e lembrar as pessoas da adoção real, com quem realmente existe, está para adoção e aguardado somente esse sinal de amor”, disse.

O reitor do Santuário Cristo Redentor, padre Omar Raposo, fez uma breve celebração no local, com oração e palavras de amor e esperança.

“O Cristo está há 91 anos de braços abertos, olhando pela cidade, sendo realmente um grande símbolo do nosso país, que comunica esperança, acolhimento, verdade e amor. Um evento que já está na sua terceira edição e que traz, sem dúvida nenhuma, um avanço na nossa conscientização em torno de um tema que é tão sensível. Sejam todos bem-vindos ao Cristo Redentor, é um dia tão bonito para podermos celebrar, Deus nos presenteou com uma manhã especial, que nossas crianças aqui sejam marcadas pela alegria e pela fé. Que toda a sociedade olhe com mais generosidade esse tema tão importante para todos nós”, disse.

Adoções

Maria Beatriz, de 10 anos, e Thales, de 9, compareceram ao evento, mas já com uma grande conquista: os dois foram adotados há cerca de uma semana. Ela agora mora na Tijuca com os pais e uma irmã de 21 anos; ele tem nova residência no Andaraí com o carinho de pai e mãe. Ambos ficaram cerca de 1 ano e meio à espera de adoção.

Atualmente, no estado do Rio, existem 254 crianças disponíveis para adoção, de acordo com o Sistema Nacional de Adoção e Acolhimento (SNA) do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Desse total, 83,1% são declaradas pardas ou pretas, a maioria é do sexo masculino (59,7%) e mais da metade tem mais de 8 anos. Participaram da visita 40 crianças e adolescentes de 5 a 17 anos.