Crianças ficam mais motivadas a ler quando estão acompanhadas de cachorros

As descobertas mostraram que as crianças passaram muito mais tempo lendo e mostraram mais persistência quando um cão estava na sala.

Crianças, cães e livros. Esta seria a combinação perfeita para melhorar a leitura na infância, aponta um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Britânica de Columbia. O trabalho aponta que estar acompanhado de um cachorro pode motivar crianças a lerem mais. A pesquisa ganha relevância num momento em que os bons hábitos de leitura na infância perdem espaço para tablets, smartphones e videogames.

O time de pesquisadores, liderado por Camille Rousseau, estudou 17 crianças que estavam matriculadas no primeiro, segundo ou terceiro ano do Ensino Fundamental. Elas foram avaliadas enquanto liam sem a presença de um cão e com um cachorro próximo.

— Nosso estudo focou se uma criança seria motivada a continuar lendo mais e perseverar ao se deparar com trechos mais desafiadores quando acompanhadas de um cão — comentou Rousseau.

Cada criança foi selecionada com base em suas habilidades de leitura. Antes do experimento, os estudantes tiveram sua perspicácia em leitura calculada para garantir que recebessem livros apropriados para suas habilidades individuais. No entanto, os pesquisadores não queriam que os livros fossem fáceis demais e escolheram livros um pouco mais difíceis do que o nível de leitura de cada criança.

Durante cada sessão, as crianças participantes foram convidadas a ler em voz alta, com e sem um cão de terapia presente na sala. Nos dois cenários, as crianças foram perguntadas se queriam continuar lendo depois de terminar a primeira página da história que foram fornecidas.

— As descobertas mostraram que as crianças passaram muito mais tempo lendo e mostraram mais persistência quando um cão, independentemente da raça ou idade, estava na sala, em vez de ler sem eles — diz Rousseau, que complementa: — Além disso, as crianças relataram sentir-se mais interessadas e mais competentes.

Os cães de terapia estão se tornando cada vez mais comuns em escolas, universidades e organizações comunitárias, e Rousseau acredita que seu trabalho pode ajudar a desenvolver estratégias de intervenção canina “padrão ouro” para crianças que estão lutando para ler bem como deveriam.

— Houve estudos que analisaram o impacto dos cães terapêuticos no aprimoramento das habilidades de leitura dos alunos, mas este foi o primeiro estudo que selecionou cuidadosamente e atribuiu uma leitura desafiadora às crianças — acrescenta ela.

Embora a equipe de pesquisa acredite que os cães provavelmente tenham a mesma influência positiva em leituras mais recreativas para crianças, eles sustentam que o verdadeiro valor dessa pesquisa reside em sua possível aplicação em relação à leitura educacional mais desafiadora que as crianças encontram na escola.