Polícia diz que criança agredida por mãe em Porto Real (RJ) também foi torturada por dias

·2 minuto de leitura
Criança de seis anos agredida no RJ foi torturada por dias, diz Polícia Civil - Foto: Rio Sul TV/ Reprodução
Criança de seis anos agredida no RJ foi torturada por dias, diz Polícia Civil - Foto: Rio Sul TV/ Reprodução

O caso da criança de seis anos que acabou no hospital após ser agredida em Porto Real, na região da Costa Verde fluminense, ganhou um episódio mais sombrio. De acordo com a Polícia Civil, ela foi torturada durante dias antes de finalmente ser socorrida. 

Segundo as informações da polícia, as agressões começaram na última sexta-feira (16) e prosseguiram até o início da última segunda-feira (19). A vítima teria ficado "agonizando até amanhecer", quando finalmente o socorro foi chamado. 

Leia também

A polícia diz que a menina não foi devidamente alimentada, foi agredida com socos e pontapés, além de sofrer lesões provocadas por um fio de TV, que foi usado como um chicote. O objetivo foi apreendido e deve constar como instrumento do crime. 

A mãe e a companheira dela, de 27 e 25 anos, respectivamente, são suspeitas de todas as agressões e devem responder por tortura. Segundo informações da polícia, as duas confessaram o crime.

O delegado responsável pelo caso diz que as agressões começaram por ciúmes da companheiras que começou a tratar mal a criança. Na sequência, vieram as agressões físicas. 

As suspeitas de todas as agressões são a mãe da menina e a companheira dela, de 27 e 25 anos, respectivamente, que respondem por tortura. De acordo com a polícia, as duas confessaram o crime, que teria sido motivado por ciúmes. Caso condenadas, as duas podem pegar uma pena que varia de dois a oito anos de reclusão

"A mãe da criança alega que, por volta de outubro do ano passado, a companheira começou a sentir ciúmes da criança e começou a maltratar tanto a mãe como a criança. Começou a fazer algumas agressões contra a criança, no que veio a culminar, na última sexta-feira, a essa série de agressões", afirmou delegado titular de Porto Real, Marcelo Nunes Ribeiro, de acordo com o portal G1. 

As duas mulheres foram presas nessa segunda, logo depois da criança dar entrada no Hospital de Porto Real, onde a equipe médica acionou as autoridades. 

Menina está em estado gravíssimo

Companheira da mãe já tinha antecedentes criminais por lesão corporal, diz polícia - Foto: Getty Images
Companheira da mãe já tinha antecedentes criminais por lesão corporal, diz polícia - Foto: Getty Images

De acordo com o G1, a vítima foi transferida do Hospital de Porto Real para a cidade vizinha de Resende (RJ), onde há atendimento especializado.

Como se trata de uma criança, o Conselho Tutelar foi acionado e, segundo o G1, ao menos oito pessoas foram ouvidas sobre o caso já nesta terça-feira. Entre elas, constam suspeitas e testemunhas como policiais militares e guardas municipais. 

A equipe médica que atendeu a criança também forneceu informações sobre a situação da jovem, de acordo com a polícia, que também confirmou que a companheira da mãe já possuía antecedentes criminais por lesão corporal e dano a patrimônio público.