Criança indígena com deficiência passa por cirurgia após ser estuprada

·1 minuto de leitura
A girl from the indigenous Yanomami ethnic group looks on, amid the spread of the coronavirus disease (COVID-19), at the 4th Surucucu Special Frontier Platoon of the Brazilian army in the municipality of Alto Alegre, state of Roraima, Brazil July 1, 2020. REUTERS/Adriano Machado
Indígenas Yanomami. Foto: REUTERS/Adriano Machado
  • Agressor é indígena da mesma comunidade

  • Ambos estavam abrigados na Casa de Apoio à Saúde do Índio Yanomami

  • Homem já foi preso e criança passa bem

Uma menina Yanomami, de 5 anos, que foi estuprada em uma área de mata próxima à Casa de Apoio à Saúde do Índio Yanomami (Casai), na zona Rural de Boa Vista, teve que passar por cirurgia.

Nesta quarta-feira (13), a Polícia prendeu o suspeito do crime, um homem indígena de 28 anos, da mesma etnia.

O ataque ocorreu no último dia 3 de outubro. A vítima, que é uma pessoa com deficiência, foi encontrada no chão, sem roupas e ensanguentada. A menina foi levada ao Hospital da Criança Santo Antônio, que é administrado pela prefeitura.

Leia também:

O município não informou se a vítima segue internada, mas afirmou que ela "foi atendida pela equipe e todos os procedimentos médicos foram tomados".

Segundo a Polícia Civil, ela passou por exames de lesão corporal e conjunção carnal no Instituto Médico Legal (IML). A instituição disse também que o agressor e a criança estavam alojados na Casai.

A Casai Yanomami é administrada pelo Distrito Sanitário Especial Indígena Yanomami (Dsei-Y), ligado ao Ministério da Saúde.

Antes de ser encontrado pela Polícia Militar, o suspeito foi agredido pela família da vítima e fugiu da Casai. Ele foi localizado em seguida e encaminhado para delegacia, onde deu depoimento com ajuda de um intérprete. 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos