Criança revela que foi estuprada por funcionário da própria mãe no DF

Criança era estuprada pelo funcionário da mãe - Foto: Getty Images
Criança era estuprada pelo funcionário da mãe - Foto: Getty Images
  • Criança relatou que era estuprada constantemente por um funcionário da própria mãe

  • Mulher tem uma fábrica de salgados que funciona dentro de sua residência no Distrito Federal

  • O suspeito era funcionário dela desde 2015 e tem um histórico de crimes

Uma menina de apenas 6 anos revelou que foi estuprada em Vicente Pires, no Distrito Federal. De acordo com os relatos da vítima, o criminoso responsável pela violência é um funcionário da própria mãe.

Segundo informações do portal Metrópoles, a criança comunicou à mãe que era alvo de repetidos abusos cometidos por um dos empregados da fábrica de salgados da qual a mulher é proprietária.

Após ouvir os relatos, a mãe procurou a polícia e registrou boletim de ocorrência. O caso, agora, é investigado pela 38ª Delegacia de Polícia, de Vicente Pires.

Entenda o crime

Em contato com o Metrópoles, a mulher contou que dava banho em seus dois filhos - a menina, de 6 anos, e o menino, de 4 - quando foi surpreendida com a acusação da garota.

“Eu estava dando banho nos meus dois filhos. Quando conversava com o menino, ele começou a falar do ‘bibiu’. E eu o alertei, falando que ele não podia mostrá-lo para ninguém, apenas para a mamãe. A outra (criança) estava se secando no box quando disse que um dos meus funcionários tinha passado o ‘bibiu’ nela”, lembrou.

O acusado era funcionário da mulher desde 2015. Como a fábrica funcionava na casa da família, ele tinha acesso livre aos cômodos e contato com as crianças.

A última vez que o homem e a filha estiveram juntos foi em 9 de setembro, quando ele teria novamente a violentado.

Após relatar os abusos, a criança deitou-se sobre a mãe e mostrou como o funcionário fazia com ela. A vítima também narrou que tinha as partes íntimas tocadas e que os crimes aconteciam, quase sempre, no quarto da mulher.

Medo de represálias

A menina era ameaçada pelo criminoso, que dizia que ela não podia contar o que acontecia a ninguém. O homem foi demitido após a denúncia, mas segue procurando a família e solto nas ruas.

“Depois que registrei ocorrência, eu o demiti, mas ele segue procurando minha filha. Já ligou para minha casa, procurou outros familiares. Eu me sinto ameaçada”, contou a mulher.

Ela relatou, ainda, que após a demissão investigou o passado do suspeito e descobriu que ele tem passagens pela polícia por crimes de estupro, ameaça e lesão corporal.