Criminosos deixaram explosivos espalhados em 20 pontos de Araçatuba

·2 minuto de leitura
ARAÇATUBA, SP, 30.08.2021 - CRIME-SP: Veículos que foram queimados pelos criminosos durante ação de quadrilha que invadiu a cidade de Araçatuba, interior paulista, para assaltar bancos, fazer reféns e cometer três assassinatos. (Foto: Clayton Khan/Folhapress)
ARAÇATUBA, SP, 30.08.2021 - CRIME-SP: Veículos que foram queimados pelos criminosos durante ação de quadrilha que invadiu a cidade de Araçatuba, interior paulista, para assaltar bancos, fazer reféns e cometer três assassinatos. (Foto: Clayton Khan/Folhapress)

ARAÇATUBA, SP, E RIBEIRÃO PRETO, SP (FOLHAPRESS) - A quadrilha que atacou bancos no início da madrugada desta segunda-feira (30) em Araçatuba, no interior de São Paulo, deixou explosivos espalhados em 20 pontos da cidade e monitorou toda a ação com drones.

Com armas potentes e explosivos, os assaltantes cercaram toda a região central da cidade e explodiram caixas em ao menos duas agências bancárias. Três pessoas morreram, incluindo um criminoso, e há quatro feridos internados na Santa Casa local.

As bombas foram deixadas em pontos do centro de Araçatuba, incluindo um caminhão carregado que foi abandonado em frente a um dos bancos atacados, de acordo com a polícia.

"Solicitamos à população que evite passar pelo centro da cidade, pois ainda há muitos explosivos no local", diz trecho de comunicado da Polícia Militar aos moradores.

Toda a ação, de acordo com a Polícia Militar, foi monitorada por drones, desde a chegada ao perímetro urbano até a fuga pelo bairro rural Engenheiro Taveira.

Sabe-se, até agora, que os criminosos usaram metalons, a super dinamite caseira, acionados a distância por celulares.

O metalon é normalmente uma estrutura metálica oca (como um pé de mesa de cozinha ou de carteira escolar) preenchida com pólvora (preta ou branca) ou uma emulsão. As duas extremidades são fechadas e, em uma delas, é colocado um barbante detonador e uma espoleta. O tamanho varia de 20 cm a 50 cm de comprimento.

As bombas espalhadas na cidade fizeram com que equipes do Gate fossem a Araçatuba para recolher os explosivos.

Entre os feridos está um morador de rua que, segundo a PM, teve os pés e a mão decepados após a explosão de uma das bombas espalhadas na cidade.

Durante a fuga, os criminosos deixaram para trás munição e armas de grosso calibre, dentre elas fuzis calibre .50 e 7.62 mm, além de "miguelitos", que são artefatos de metal utilizados para furar pneus de veículos.

De acordo com a polícia, não se sabe até o momento o total de criminosos envolvidos na ação. Dois foram capturados.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos