'Criminosos seguirão sendo identificados e punidos', diz interventor federal no DF

Nomeado como interventor federal no Distrito Federal, Ricardo Cappelli reforçou, na manhã desta segunda-feira, que os terroristas responsáveis pelos atos de vandalismo nos prédios dos três poderes neste domingo "seguirão sendo identificados e punidos".

Paraná: PM retira golpistas que despejaram caminhão de terra na entrada de refinaria

Ataques à democracia: Como os terroristas que invadiram Planalto, STF e Congresso serão identificados pela PF

"Já estamos em campo novamente. Os criminosos seguirão sendo identificados e punidos. Não permitiremos a continuidade de concentrações que funcionem como incubadoras de planos contra o Estado Democrático de Direito", afirmou Cappelli em postagem no Twitter.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva decretou intervenção federal no DF após terroristas invadirem e depredarem as sedes do Palácio do Planalto, do Congresso e do Supremo Tribunal Federal. Segundo Lula, a intervenção vale para todas as decisões relativas à segurança pública é necessária porque policiais militares, que respondem ao governador do DF, Ibaneis Rocha, foram lenientes para conter os manifestantes. Ibaneis, por sua vez, foi afastado do cargo por um período de 90 dias, conforme determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes.

Cappelli fez ainda uma postagem na madrugada desta segunda-feira informando que a situação em Brasília estava controlada.

"Tudo será devidamente apurado", completou.