Cris Brasil, candidata à Câmara, quer projeto contra controle constitucional pelo STF

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A candidata a deputada federal Cris Brasil (PTB) afirmou nesta sexta-feira (23) à Folha de S.Paulo que seu principal projeto, caso eleita, será uma emenda para que o STF (Supremo Tribunal Federal) não tenha controle constitucional.

Segundo ela, o Supremo vem substituindo o Congresso no seu dever, anulando uma série de decretos do governo, o que em sua avaliação é um absurdo.

Cris Brasil foi a quarta entrevistado desta sexta-feira na série de lives da Folha de S.Paulo com candidatos a deputado federal por São Paulo. As transmissões, que começaram esta semana, acontecem pelo perfil do jornal no Instagram.

Ela é filha de Roberto Jefferson, presidente do PTB que foi o delator do mensalão. Questionada sobre a influência de seu pai na sua carreira política, a candidata disse que ele a incentivou quando a convidou para ser secretária municipal dos idosos na cidade do Rio de Janeiro. Depois da experiência, ela nunca mais saiu da política.

Com uma trajetória pautada no Rio de Janeiro, onde foi vereadora por três vezes, ela explicou que resolveu candidatar-se em São Paulo porque recebeu um convite do partido e resolveu aceitar.

Perguntada sobre se é possível discutir o armamento da população, a candidata afirmou que as pessoas têm que ter o direito à liberdade de escolha. "Elas têm que escolher se vão se armar ou não", afirmou. "Eu adoro atirar, acho o maior barato. Acho que as mulheres deveriam aprender a atirar para se defender", disse.

A candidata afirmou ainda que se mais pessoas pudessem portar armas os bandidos pensariam duas vezes antes de assaltar.