Crise da saúde no Rio aumenta a oferta de planos de saúde nas ruas. Veja os cuidados

O consumidor deve seguir sete passos antes de contratar um plano de saúde

RIO - Com a crise de saúde no município do Rio, a oferta de planos de saúde cresceu nas ruas como uma opção para quem não consegue ser atendido nos hospitais. Mas é preciso ficar atento ao que o plano oferece para não comprar gato por lebre. Veja as orientações da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) para o consumidor na hora da contratação.

É importante que o usuário pesquise se o plano ofertado é registrado na ANS e observe se é elegível ao plano, pois enquanto o plano individual ou familiar pode ser contratado por qualquer pessoa, os coletivos exigem vínculos específicos: o coletivo por adesão exige vínculo com associação profissional ou sindicato, e o coletivo empresarial requer vínculo com pessoa jurídica por relação empregatícia ou estatutária.

Além disso, é necessário verificar o tipo de assistência oferecida (ambulatorial, hospitalar ou odontológica).Para facilitar a pesquisa, a agência reguladora indicou sete passos que o consumidor deve seguir antes de contratar um plano de saúde.

Confira abaixo as orientações

1º - Consulte a operadora2º - Observe o tipo de plano3º - Veja a abrangência geográficaAvalie bem se você precisa de um plano de saúde que atenda apenas em seu município ou se é necessário atendimento em outros municípios, no seu estado, em outros estados, no Brasil ou em âmbito internacional.4º - Pesquisa a rede prestadora5º - Faça a declaração correta de saúde6º - Confira os prazos de carência7º - Informe-se sobre os valores