"Crise humanitária muito maior" está apenas começando no Afeganistão, diz Acnur

·1 minuto de leitura
Alto comissário da ONU para refugiados, Filippo Grandi, durante entrevista à Reuters em Bogotá

Por Stephanie Nebehay

GENEBRA (Reuters) - Conforme as retiradas de Cabul diminuem nos próximos dias, "uma crise maior está apenas começando" no Afeganistão para seus 39 milhões de habitantes, disse a agência para refugiados da ONU, Acnur, nesta segunda-feira, pedindo apoio.

Filippo Grandi, Alto Comissário das Nações Unidas para Refugiados, cuja agência disse na sexta-feira passada que até 500 mil afegãos poderiam fugir até o final do ano, reiterou o apelo para que as fronteiras permaneçam abertas e para que mais países compartilhem "essa responsabilidade humanitária" com o Irã e o Paquistão, que já hospedam 2,2 milhões de afegãos.

"As viagens aéreas para fora de Cabul terminarão em questão de dias, e a tragédia que se desenrolou não será mais tão visível. Mas ainda será uma realidade diária para milhões de afegãos. Não devemos dar as costas. Uma crise humanitária muito maior está apenas começando", disse Grandi em comunicado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos