Crise na Argentina pode prejudicar transferências

Banco Central da Argentina interrompeu operações em dólar no câmbio oficial para manter a moeda estrangeira no país.
Banco Central da Argentina interrompeu operações em dólar no câmbio oficial para manter a moeda estrangeira no país. Foto: (ALEJANDRO PAGNI/AFP via Getty Images)

Atravessando forte crise financeira, a Argentina pode ver seu futebol desvalorizar em relação aos clubes brasileiros, grandes rivais, por conta de uma paralisação feita pelo Banco Central da Argentina para evitar que o dólar não saia do país.

No início desta semana, a instituição anunciou que iria interromper a venda da moeda americana no câmbio oficial, o que pode melar possíveis negociações da próxima janela de transferências internacionais, inclusive a de Miguel Borja, ex-jogador do Palmeiras, ao River Plate. A determinação faz com que o câmbio paralelo, chamado de dólar blue, dispare seu valor. Outra opção para os clubes de futebol ou outras empresas é a de utilizar o dólar Bolsa, que tem cotação equivalente ao dobro da oficial.

Leia também:

De acordo com o jornal Clarín, o River Plate teria 195 milhões de pesos argentinos, equivalente a R$ 8 milhões na cotação atual, para que realizasse a primeira parcela de pagamento por Borja, mas a nova realidade financeira estipulada pelo Banco Central faria com que os Millonarios abrissem o bolso e despejassem 408 milhões de pesos, mais do que o dobro, para efetuar o pagamento.

A economia da Argentina, que tem relação fortíssima com o dólar americano, sofre com duros prejuízos com o passar dos últimos anos. Entre janeiro e maio deste ano, a inflação subiu 29,3% e se tornou uma das mais altas do mundo no período de maio de 2021 para maio de 2022, chegando a 60,7%. O Ministro da economia, Martín Guzmán, inclusive, pediu a renuncia ao cargo por conta da situação do país.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos