Crise no Peru sem fim à vista

Sucedem-se as manifestações, em Lima, capital do Peru, contra a presidente Dina Boluarte. Aos olhos dos peruanos revoltados, a atual líder do país andino é responsável pela brutal repressão dos protestos antigovernamentais que ocorrem há semanas, com um balanço de 42 mortos e mais de 300 feridos.

"O povo exige a demissão imediata da Sra. Dina Boluarte. Ela tem de pagar pelos mortos que agora estão quase esquecidos", exige um dos manifestantes.

Dina Boluarte assegurou, esta sexta-feira, que o Governo está a promover um diálogo nacional "pela paz social, reconciliação, crescimento económico e desenvolvimento, que inclui todos os setores, sem exclusões".

Boluarte foi nomeada presidente após a destituição do antecessor Pedro Castillo, em dezembro, acusado de perpetrar uma tentativa de golpe de Estado.

Os seus apoiantes foram para as ruas para exigir a sua libertação. As mortes nos confrontos com as forças de segurança mereceram o repúdio de vários Governos da região. O Executivo de Dina Boluarte corre, assim, o risco de ficar isolado internacionalmente.