Crise de refugiados na Europa vai durar anos, segundo Juncker

Policiais observam um grupo de refugiados esperando em plataforma de trem em Luebeck, Alemanha, no dia 8 de setembro de 2015

A crise de refugiados na Europa vai durar "um certo número de anos", considerou nesta quinta-feira o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, que assegurou "não ter ilusões" sobre o assunto.

"A crise de refugiados vai durar vários anos. Eu não tenho a ilusão de que o que vivemos neste momento pertencerá rapidamente ao passado", disse ele durante uma coletiva de imprensa em Passau, no sul da Alemanha.

"Temos de dizer às pessoas que isso não é algo passageiro, provisório, que devemos viver muito tempo com este problema", insistiu.

Retomando uma fórmula da chanceler alemã Angela Merkel, Juncker ressaltou que "na Europa devemos conseguir responder à crise de migração", notando que apenas a África tem 8,5 milhões de refugiados que podem querer entrar na Europa.

A Europa enfrenta sua mais grave crise migratória em décadas, mas tem dificuldades para alcançar uma resposta comum ao problema.

Se a Alemanha abriu suas portas para centenas de milhares de imigrantes e apelou para uma distribuição dos refugiados na UE, muitos países se opõem a tais medidas.

A Hungria instalou uma cerca ao longo de sua fronteira para impedir a entrada de imigrantes que fogem da pobreza e da guerra.

"Nós não precisamos de novos muros na Europa (...) e certamente não entre os países membros da UE", disse Juncker.

o visitar um centro de acolhimento em Passau, na fronteira com a Áustria, Juncker visitou um dos principais pontos de entrada de migrantes na Alemanha.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos