CR7, Jorge Mendes, Messi e Guardiola já doaram milhões... e por aqui?

Jorge Mendes ao lado de Cristiano Ronaldo, sua mãe e o filho (Gerard Julien/Getty Images)

A cada dia que passa, aumenta a lista de estrelas do futebol que fizeram doações gigantes para ajudar na crise causada pelo Coronavírus. Cristiano Ronaldo e o empresário Jorge Mendes são dois exemplos em Portugal, Guardiola e Messi na Espanha e por aí vai. Mas e no Brasil?

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Esportes no Google News

Grandes estrelas, como Neymar, que voltou ao Brasil desde a pandemia, ainda não anunciaram publicamente qualquer ajuda.

Leia também:

Cristiano Ronaldo e seu empresário, dono da Gestifute, doaram cerca de 4 milhões de euros ou R$ 22,1 milhões para equipar quatro UTIs (unidades de terapia intensiva) em Portugal, de acordo com o jornal Record. Jorge Mendes ainda deu 53 mil máscaras cirúrgicas, cinco mil testes para detecção da Covid-19 e 200 óculos de proteção.

A iniciativa da dupla portuguesa foi logo copiada por Messi e Guardiola. O argentino desembolsou 1 milhão de euros ou R$ 5,5 milhões para o Hospital Clínico de Barcelona - vale lembrar que a Catalunha já tem quase 300 mortos e cerca de oito mil doentes que testaram positivo para o Coronavírus. O argentino, que está recluso em sua casa em Barcelona, também doou outra quantia não revelada a um hospital em Rosário, sua terra natal na Argentina.

Já Guardiola doou 1 milhão de euros para a Fundação Ángel Soler Daniel, que administra a Faculdade de Medicina de Barcelona. O dinheiro servirá para compra e produção de materiais e equipamentos de saúde, além de financiar a produção de respiradores.

O Brasil ainda não registra números assustadores como os de Espanha, Itália e Estados Unidos, embora São Paulo, estado natal de Neymar, tenha registrado 48 das 57 mortes do país até a atualização da manhã desta quinta-feira.